<
>

Caso Neymar: acusadora irá depor que atleta ficou agressivo por não querer usar preservativo, diz TV

A mulher que acusa Neymar de estupro prestará depoimento nesta quinta-feira, às 16h, em São Paulo, segundo informações divulgadas pela TV Bandeirantes e confirmadas pela ESPN.

De acordo com a advogada da suposta vítima, o jogador não quis usar preservativo durante a relação, ficando agressivo após ter seu desejo recusado.

Neymar só será chamado pela polícia após o novo depoimento da acusadora.

Também nesta quarta, a defesa do atleta divulgou uma nota oficial negando que o pai de Neymar tenha buscado um acordo fora da justiça.

"O Sr. Neymar da Silva Santos, pai do jogador, foi procurado pelo Dr. José Edgard Cunha Bueno no dia 29/05, que requisitou agendamento de reunião, como fica claro na mensagem abaixo. A iniciativa para realização do encontro sempre partiu do citado advogado. Também importante reforçar que, na reunião, o advogado apresentou um inaceitável pedido de 'cala boca', prontamente rejeitado”, dizia o comunicado.

O advogado em questão era o representante da acusadora e deu entrevista ao Jornal Nacional na última terça-feira.

A defesa de Neymar tem agido para tentar mostrar publicamente a inocência do jogador. No último sábado, ele recebeu aval de seus advogados antes de divulgar o vídeo com fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro. A única ressalva foi para que o nome da pessoa não fosse exposto e também nenhuma imagem direta, segundo apurou o ESPN.com.br.

Acontece, porém, que em alguns momentos do vídeo em que Neymar expõe a conversa é possível ver o primeiro nome da mulher e também parte de seu rosto.

A estratégia da equipe que assessora Neymar era dar uma resposta rápida à acusação de estupro, noticiada pela primeira vez no próprio sábado – o boletim de ocorrência foi registrado na sexta, dia 31 de maio, e o suposto crime, dia 15, em Paris, na França.

No domingo, a Polícia Civil do Rio de Janeiro anunciou que investigaria Neymar pela divulgação do vídeo e das imagens íntimas da mulher que o acusa. O caso está nas mãos da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI).

Com o vídeo, Neymar pode ter infringido o código 218-C do Código Penal: “Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio - inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”.

A pena prevista na legislação é de um a cinco anos de reclusão, que pode ser agravada se “o crime é praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação.”

Em relação a acusação de estupro, a investigação contra Neymar será feita em São Paulo, onde a seleção brasileira faz dois jogos na Copa América, nos dias 14 (no Morumbi, contra a Bolívia) e 22 de junho (na Arena Corinthians, diante do Peru).

Entenda o caso

Neymar foi acusado de estupro por uma mulher cuja identidade foi preservada pela polícia. Ela registrou boletim de ocorrência na sexta-feira (31), revelado pelo ESPN.com.br no sábado 1º de junho, na 6ª Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher, em São Paulo.

Segundo o documento, ela alegou ter conhecido o jogador de Paris Saint-Germain e seleção brasileira nas redes sociais. E no dia 12 de maio, um assessor identificado como Gallo entrou em contato fornecendo passagens e hospedagem para ela viajar para Paris, na França. Ela afirmou ter embarcado no dia 14 e chego no dia 15.

A mulher também relatou que ficou no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triumphe e recebeu o atleta de 27 anos por volta de 20h locais do dia 15. Segundo ela, o jogador chegou “aparentemente embriagado”. “Começaram a conversar, trocaram carícias, porém, em determinado momento, Neymar se tornou agressivo e, mediante violência, praticou relação sexual.”

Tanto Neymar, por meio de vídeo em uma rede social – que depois o tirou do ar - na qual expôs as conversas com a mulher, quanto seu pai, Neymar da Silva Santos, em duas entrevistas à TV Bandeirantes, uma por telefone e a outra participando ao vivo de um programa, negam que tenha havido estupro. Eles confirmam que houve relação sexual, mas que a mesma foi consensual.