<
>

Palmeiras bate Vitória, ergue taça do Campeonato Brasileiro com linda festa e pedidos de 'fica, Dudu'

Na despedida do Campeonato Brasileiro, o campeão Palmeiras jogou em ritmo de treino e bateu o Vitória por 3 a 2, neste domingo, no Allianz Parque, pela última rodada do torneio.

Edu Dracena abriu o placar para o Verdão na primeira etapa, com linda assistência de Dudu. No segundo tempo, Gustavo Scarpa bateu de fora da área e ampliou para os donos da casa.

No entanto, o já rebaixado adversário correu atrás do empate. Achou o primeiro gol em um pênalti mal marcado pelo árbitro Héber Roberto Lopes, e convertido por Yago, e o segundo em um golaço de Luan, com um lindo giro na área.

Quando parecia que a partida terminaria igual, Bruno Henrique soltou um foguete de fora da área e estufou as redes rubro-negras, selando a tarde perfeita no estádio palestrino.

A partida foi marcada por linda festa da torcida alviverde, que não parou de cantar um minuto sequer e soltou o grito de "é campeão" pela primeira vez ao lado do elenco palestrino, já que o título foi conquistado no último domingo, em São Januário.

O Allianz Parque, aliás, registrou recorde de público: 41.256 presentes, gerando uma renda de R$ 3.514.618,30.

Também vale destacar os muitos gritos de "fica, Dudu" para o camisa 7 alviverde, que ainda não confirmou seu "fico" no Verdão para a próxima temporada.

Após o apito final, o presidente eleito Jair Bolsonaro, convidado pela diretoria palestrina para a partida, subiu ao palco e cumprimentou os atletas alviverdes, que ganharam suas medalhas de campeão e levantaram o troféu do Deca.

O JOGO

Em ritmo de festa, o Palmeiras chegou pela primeira vez aos 6 minutos, quando Dudu recebeu pela esquerda, invadiu a área e rolou para o meio. Gustavo Scarpa chegou batendo, mas mandou por cima do gol rubro-negro.

Aos 13, outra ótima chance alviverde: tabelando pela direita, o Verdão viu Bruno Henrique invadir a área e chutar à esquerda da meta. O atacante Borja ficou lamentando, pois estava livre para receber o passe e só completar.

Na sequência, o Vitória respondeu em um belo chute cruzado de Yago de fora da área, que tirou tinta da trave de Weverton.

No embalo da torcida, o time de Luiz Felipe Scolari seguia em cima e quase abriu o placar aos 19. Gustavo Scarpa cobrou escanteio e Antônio Carlos subiu bem de cabeça, mas sua finalização saiu pelo lado.

No lance seguinte, o grito de "gol" palestrino ficou entalado de novo. Felipe Melo deu ótimo lançamento para Mayke, que tirou a marcação e enfiou por cima para Borja. O colombiano chegou batendo de primeira e errou por pouco.

O Vitória tentava chegar por meio de trocas de passes, mas a marcação palmeirense se mostrava atenta. E em contra-ataque puxado aos 26, Dudu disparou raspando a trave.

O Verdão seguia chegando, mas o gol teimava em não querer sair. Aos 32 minutos, por exemplo, Dudu lançou na área, Felipe Melo ajeitou de cabeça e Edu Dracena chegou completando também de testa, na pequena área, mas o goleiro rubro-negro defendeu.

Cinco minutos depois, contra-ataque alviverde em alta velocidade: Dudu para Borja, Borja para Lucas Lima, Lucas Lima para Gustavo Scarpa, que arrematou bonito, mas por cima do gol de João Gabriel.

De tanto insistir, o Palmeiras abriu o placar aos 43: Dudu aproveitou sobra de bola na área e deu cruzamento magistral para Edu Dracena, que só teve que cumprimentar de cabeça para marcar seu segundo gol com a camisa alviverde.

Na segunda etapa, Felipão trocou Borja por Deyverson, e a torcida alviverde fez muita festa para a entrada do autor do gol do Deca, contra o Vasco.

Na retomada do jogo, quem deu o primeiro susto foi o Vitória, em um belo chute de Luan, que passou muito perto de entrar. No lance seguinte, Dudu devolveu na mesma moeda, em jogada idêntica, e também ameaçou João Gabriel.

A superioridade técnica palestrina, porém, era evidente, e o segundo tento não demorou a sair. Aos 11 minutos, Gustavo Scarpa mandou a bomba de fora da área e contou com a falha do goleiro rubro-negro para estufar as redes.

Depois disso, o Palmeiras seguiu mandando na partida e criou uma série de chances de ampliar ainda mais o placar, mas desperdiçou.

Aos 24, porém, a zaga palestrina teve um momento de desatenção e o clube baiano diminuiu. Antônio Carlos deu carrinho em Yago fora da área, mas o árbitro Héber Roberto Lopes marcou pênalti. Na cobrança, o próprio Yago deslocou Weverton para marcar.

O tento animou o Vitória, que partiu para cima e achou o empate logo depois: Luan recebeu cruzamento, dominou de maneira muito bonita e chutou forte para vencer o arqueiro palestrino, anotando um lindo gol no Allianz Parque.

O Palmeiras teve grande oportunidade de retomar a dianteira aos 32, quando Felipe Melo fez um lindo levantamento de puxeta e Edu Dracena cabeceou quase no pé da trave rubro-negra. A finalização, porém, saiu por pouco.

Quando parecia que a partida terminaria empatada, Guerra entrou bem, deu passe para Bruno Henrique e o capitão chutou forte para estufar as redes e anotar o gol da vitória, deixando a tarde ainda mais perfeita para ps palmeirenses.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 2 VITÓRIA

Local: Allianz Parque, São Paulo-SP
Data: 2 de dezembro de 2018, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Público: 41.256 pagantes
Renda: R$ 3.514.618,30
Árbitro: Héber Roberto Lopes
Assistentes: Henrique Neu Ribeiro e Éder Alexandre
Cartões amarelos: Deyverson e Felipe Melo (PAL); Luan e Lucas Ribeiro (VIT)

GOLS
PALMEIRAS: Edu Dracena, aos 42 minutos do primeiro tempo; Gustavo Scarpa, aos 11, e Bruno Henrique aos 44 minutos do segundo tempo
VITÓRIA: Yago, aos 25, e Luan, aos 27 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Guerra); Gustavo Scarpa (Moisés), Dudu e Borja (Deyverson) Técnico: Luiz Felipe Scolari

VITÓRIA: João Gabriel; Cedric, Lucas Ribeiro, Bruno Bispo e Fabiano; Willian Farias (Nickson), Léo Gomes, Yago, Luan e Lucas Fernandes (Erick); Léo Ceará (Eron) Técnico: João Burse