<
>

Dembélé, da Bélgica, nem queria ser jogador e tinha avó mais apaixonada pelo futebol do que ele

Mousa Dembélé esteve em campo em uma semifinal de Copa do Mundo, talvez o jogo mais importante da história do futebol da Bélgica. Mas, ao contrário de tantos outros meninos, ele nunca sonhou em estar ali. O meio-campista só decidiu que seria um jogador profissional aos 17 anos de idade. E ainda assim um tanto contra as suas próprias vontades.

“Para ser sincero, eu nunca tive a ambição de ser um jogador profissional. Eu sempre estava na rua chutando uma bola, sempre amar jogar. Quando tinha 17 anos, o treinador do Germinal Beerschot (um time que hoje já nem existe mais) me chamou para jogar no time profissional e eu fui, mesmo que nunca tivesse sido meu desejo”, contou Dembélé em uma entrevista de 2016.

Filho de um pai que veio de Mali e de uma mãe pintora, Dembélé sequer era o mais apaixonado por futebol em sua família. A avó Maria Huygens era a ‘dona’ desta função.

“Ela jogava futebol antes de o futebol ser um esporte também das mulheres”, recorda, com carinho, o meio-campista. “Ela assistia a todos os jogos e sabia o nome de jogadores mesmo mais velha, quando estava em uma cadeira de rodas enfrentando a esclerose múltipla”, completa.

A avó teve tempo de ver o neto sair do Beerschot para o Willem II e depois para o AZ Alkmaar, onde se tornou campeão holandês e conheceu o atacante brasileiro Ari.

“A gente adorava assistir os melhores momentos de Real Madrid e Barcelona. No salão de jogos do clube tinha um computador que a gente sempre jogava e ficava na resenha. Lembro que ele falava com uma simplicidade sobre esses caras, Messi, Cristiano e tal”, conta Ari.

“Ele foi um dos melhores jogadores do Campeonato Holandês e depois foi vendido. Fico muito feliz por estar em uma grande equipe e apresentando um futebol muito alto. Era um amigo e virei grande fã”, completa.

Do AZ, Dembélé ainda foi para o Fulham antes de desembarcar no Tottenham por 19 milhões de euros (quase R$ 90 milhões). Agora, ele vai brigar para terminar com a terceira melhor campanha de uma Copa do Mundo.

A Bélgica enfrenta a Inglaterra neste sábado, às 11h (de Brasília), em São Petersburgo.