<
>

Sob forte chuva, Brasil supera Japão com gol de Neymar, que se aproxima ainda mais de recorde de Pelé

Rei do Futebol soma 77 gols em partidas contra seleções. Neymar soma 74 e pode igualar Pelé em breve


A seleção brasileira superou um violento Japão por 1 a 0, em amistoso realizado no país asiático, na manhã desta segunda-feira (6). O gol foi marcado por Neymar, de pênalti, aos 30 minutos do segundo tempo. Na última semana, a seleção havia atropelado a Coreia do Sul por 5 a 1.

Seleção com testes no time titular e ‘pancadaria’ japonesa em campo

Com uma formação sem a presença de um centroavante, a seleção brasileira adotou a mesma postura que teve na goleada diante da Coreia do Sul: pressão alta e marcação sob pressão a todos os momentos.

O Brasil tinha Paquetá com grande liberdade do meio-campo para frente. O nome do Lyon era o responsável pela condução da bola ao ataque após a recuperação na defesa. A seleção mostrou ainda grande repertório de finalizações, com Fred e até mesmo Casemiro aparecendo na entrada da área para chutar.

Porém, os japoneses não demonstravam fragilidade defensiva. A equipe da casa travou o meio-campo, dobrou marcações em cima de Neymar, Vinicius Jr. e Raphinha, além de abusar das faltas. Em uma espécie de ‘rodízio’, os asiáticos cometeram 12 infrações.

As oportunidades de gols foram raras. O Brasil conseguiu assustar em finalizações perigosas de Neymar e Raphinha. Por outro lado, os japoneses só ameaçaram em lance isolado de bola aérea, que Alisson acompanhou até a saída pela linha de fundo.

Segundo tempo com novas alterações e testes de Tite

Sem alterações, a seleção brasileira voltou de maneira semelhante. Impositiva no campo de ataque, a equipe de Tite acumulava peças no setor de frente, mas encontrava poucos espaços para criar de maneira efetiva.

Enquanto isso, a seleção japonesa seguia repetindo a estratégia do primeiro tempo de rodízio de faltas. Só Neymar havia recebido nada menos do que oito infrações até os primeiros minutos da etapa final.

Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, o Japão se lançou um pouco mais ao ataque e passou a ter o controle da bola. Porém, os asiáticos erraram os cruzamentos e praticamente não exigiram trabalho a Alisson.

Percebendo a queda de rendimento, Tite mexeu. Vinicius Jr. e Raphinha deixaram o gramado para as entradas de Gabriel Martinelli e Gabriel Jesus, respectivamente. Logo em seguida, Thiago Silva entrou no lugar de Dani Alves e Richarlison ocupou a vaga de Fred, atuando em um esquema de 4-1-4-1.

A mudança deixou o Brasil mais ativo em campo. Aos 29 minutos, em lance entre Neymar e Richarlison, o ‘Pombo’ foi derrubado na pequena área. A arbitragem assinalou pênalti para o Brasil. O craque do Paris Saint-Germain deslocou o goleiro e abriu o placar para a seleção.

O Japão tentou ir para um ‘tudo ou nada’ nos minutos finais, mas seguia exagerando nas decisões erradas, além de encarar uma bem postada defesa brasileira. Ao apito final, nova vitória do Brasil, que segue em preparação para o Mundial no final do ano.

Foi bem: Neymar

O camisa 10 da seleção brasileira foi o mais caçado em campo ao longo da partida. Neymar recebeu ao menos oito faltas e esteve em vários setores do campo para tentar criar espaço à seleção. Foi dele o gol de pênalti da vitória ao Brasil em cima do Japão.

Foi mal: Vini Jr.

O atacante do Real Madrid não conseguiu der o mesmo desempenho do Real Madrid. Aberto pela esquerda, o brasileiro foi facilmente dominado pela marcação e pouco pôde fazer para ajudar a seleção de Tite a vencer o Japão.

Ficha técnica: Japão 0 x 1 Brasil

Japão: Gonda; Nagatomo, Yoshida, Itakura, Nakayama; Endo, Tanaka (Shibasaki), Junya Ito (Doan), Haraguchi (Kamada); Minamino (Mitoma) e Furuhashi (Maeda). Técnico: Hajime Moriyasu.

Brasil: Alisson; Daniel Alves (Thiago Silva), Eder Militão, Marquinhos, Guilherme Arana; Casemiro (Fabinho), Fred (Richarlison), Paquetá (Bruno Guimarães), Neymar, Raphinha (Gabriel Jesus) e Vinicius Jr. (Gabriel Martinelli). Técnico: Tite.