<
>

Preparador físico 'monstro' e neurocientistas: conheça os 'heróis invisíveis' de Real e Liverpool, os finalistas da Champions

Real Madrid e Liverpool se enfrentam no próximo sábado (28), às 16h (de Brasília), na grande decisão europeia


Neste sábado, Real Madrid e Liverpool se enfrentam na grande final da Uefa Champions League, às 16h (de Brasília), no Stade de France, na Grande Paris.

Os rivais são donos de dois dos mais qualificados e recheados elencos do futebol europeu, contando com craques espetaculares, atletas de nível de seleção e jovens avaliados em bilhões.

Fora de campo, porém, merengues e Reds também possuem "heróis invisíveis", que, mesmo não aparecendo para a torcida, acabam sendo essenciais para o bom desempenho das equipes.

No caso do Real Madrid, o preparador físico italiano Antonio Pintus é apontado tanto por jogadores como treinadores como o grande responsável pelos blancos estarem sempre "voando" em campo, tanto nos jogos na Espanha quanto nos duelos internacionais.

Já no Liverpool, os neurocientistas Niklas Häusler e Patrick Häntschke são essenciais na preparação mental dos atletas, principalmente em uma temporada repleta de jogos decisivos, com prorrogações e cobranças de pênaltis.

Conheça um pouco mais sobre os "heróis invisíveis":

Antonio Pintus

Conhecido como "O sargento" por sua rigidez no trato com os atletas, Antonio Pintus é referência mundial na preparação física.

Não é à toa que ele foi apontado por Zinedine Zidane, ex-comandante do Real Madrid, como um dos principais responsáveis pelas várias conquistas dos merengues entre 2016 e 2019.

Sua carreira, porém, é longa. Antes de brilhar no Santiago Bernabéu, Pintus já havia sido o preparador da Juventus no título da Champions em 1995/96, que foi a última vez que a "Velha Senhora" conquistou o continente. Ao todo, ele trabalhou por sete anos na gigante de Turim.

Entre 2019 e 2021, o italiano também trabalhou na Inter de Milão, fazendo grande parceria com o técnico Antonio Conte e levando os nerazzurri ao título do Campeonato Italiano em 2020/21.

No ano passado, ele voltou ao Real Madrid, substituindo o criticado Grégory Dupont, que viu a equipe blanca sofrer uma enxurrada de lesões sob sua gestão.

Pintus assumiu como chefe de preparação física do elenco profissional do Madrid, além de ter sido nomeado o responsável pelo desenvolvimento da metodologia de preparação de todas as equipes do clube, desde a base até o adulto.

Ao todo, o italiano passou por 12 clubes na carreira: além dos já citados Real Madrid, Juventus e Inter, o profissional também trabalhou em Settimo, Chelsea, Udinese, Monaco, West Ham, Olympique de Marselha, Atlético de Marselha, Palermo e Sunderland.

Com seu trabalho, ele ajudou na conquista de 14 títulos desde que começou a trabalhar com futebol, em 1986, somando taças de Champions League, Mundial de Clubes, Copa da Uefa e as principais ligas nacionais da Europa.

Seu método de trabalho é focado principalmente em treinamentos físicos sem bola e em métodos de potencialização da potência física em jogadores de todas as idades.

Além disso, ele faz constante acompanhamento do desgasta dos jogadores, conseguindo diminuir imensamente o número de contusões musculares na comparação com o período em que Grégory Dupont foi o chefe de preparação dos merengues.

Não é por acaso que o meio-campo titular do Real Madrid, que tem três atletas com mais de 30 anos (Casemiro, Kroos e Modric), segue voando sob a supervisão do "Sargento". E também não é de se espantar o fato de Benzema estar vivendo a plenitude de sua forma aos 34 anos.

Niklas Häusler e Patrick Häntschke

Após a conquista da Copa da Liga Inglesa contra o Chelsea, em fevereiro deste ano, o técnico do Liverpool, Jürgen Klopp, revelou o grande segredo do incrível foco demonstrado pelos jogadores dos Reds durante a disputa - os atletas acertaram todas as 11 cobranças.

O alemão revelou que contratou a empresa alemã neuro11, especializada em neurociência, para auxiliar na preparação mental dos jogadores do clube de Anfield.

Comandada pelos neurocientistas Niklas Häusler e Patrick Häntschke, a empresa oferece acompanhamento psicológico a atletas e vem formando uma parceria de enorme sucesso com Klopp.

A neuro11 também realiza monitoramento da atividade cerebral dos atletas, usando as informações para otimizar a performance dos jogadores.

"Eles tiveram um impacto incrível aqui (no Liverpool). Entrei em contato com eles há alguns anos, porque achei as ideias muito interessantes, e agora eles são parte integral de nossa comissão técnica", contou o comandante dos Reds, em fevereiro.

"Eles não ficam conosco o tempo todo, pois trabalham na Alemanha, mas vêm a Liverpool com bastante frequência. Eu e os atletas gostamos muito do trabalho deles. Eles tentam colocar os jogadores no espírito certo. Tudo é medido e estudado. Eles são neurocientistas, e isso é incrivelmente interessante e extremamente importante para nós", salientou.

Curiosamente, o Liverpool venceu a FA Cup nesta temporada em mais uma decisão nos pênaltis, mais uma vez em cima dos Chelsea.

Mais uma vez, os Reds demonstraram ótimo preparo psicológico nas cobranças, que foram feitas contra ninguém menos que Mendy, eleito melhor goleiro do mundo por Fifa e Uefa. E, não à toa, Klopp dedicou o troféu mais uma vez aos neurocientistas Niklas Häusler e Patrick Häntschke.

"Eles entraram em contato conosco há dois anos. Eles me disseram: 'Nós podemos treinar e melhorar o desempenho de vocês em cobranças de pênaltis', e eu respondi: 'Isso parece bem legal! Venham para cá!'", contou o treinador.

"Como bons alemães, nos encontramos e conversamos. Trabalhamos juntos e deu muito certo. Esse troféu (da FA Cup) é dedicado a eles, assim como foi o da Copa da Liga Inglesa", salientou.

Dos membros da neuro11 que trabalham diretamente com o Liverpool, Niklas Häusler tem doutorado em neurociência e PhD em psicologia na Universidade de Bonn, na Alemanha. Já Patrick Häntschke foi jogador de categorias de base na Bundesliga e atua como CEO da empresa.