<
>

Artilheiro do Bragantino encantou Jesus em Portugal, foi indicado ao Flamengo pelo Mister, mas recusou

Artilheiro do Red Bull Bragantino, Ytalo teve uma sondagem do Flamengo, mas preferiu ficar no time paulista


Após rodar por diversos times do Brasil e do exterior, Ytalo pode dizer que chegou ao auge da carreira depois dos 30 anos, a ponto de hoje ser um dos maiores destaques do Red Bull Bragantino na Conmebol Libertadores. O atacante é a grande aposta do time paulista para a partida contra o Estudiantes, nesta terça-feira (17), às 19h15 (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+.

Por se sentir tão à vontade na equipe do interior paulista, o atacante recusou, em 2019, um convite que pouquíssimos no Brasil diriam não: jogar no badalado Flamengo, comandado por Jorge Jesus, que venceria a Libertadores e o Brasileirão, além de outras taças no semestre seguinte.

Em entrevista exclusiva à ESPN, Ytalo contou como teve a chance de atuar no rubro-negro e explica por que não topou a proposta.

“Eu estava no Marítimo e fiz um gol no Benfica quando jogamos contra. Ele me conhecia de lá, e eu estava muito bem aqui. Por isso ele indicou, até porque o Flamengo tinha machucado o centroavante. Optei por ficar aqui por conta da organização do clube. Lá eu sabia que iria por empréstimo, porque sei que a concorrência é forte. É o Flamengo, mas como sou mais experiente não fui", disse o atacante.

"Se fosse mais novo, acho que até pensaria em ir, mas com a minha experiência preferi ficar no Red Bull Bragantino, porque o projeto é muito bom. Estou aqui há quatro anos, desde o Red Bull Brasil até o Red Bull Bragantino. Minha fase sempre foi boa, sempre fazendo gols e ajudando a equipe. Foi nesse pensamento que quis ficar aqui”, garantiu.

A gratidão de Ytalo não é à toa. Em 2018, quando já havia passado até pelo São Paulo, o jogador estava sem clube enquanto se recuperava de um lesão no pé quando foi ajudado pelo atual CEO do clube de Bragança.

“Precisei depois me tratar em casa por três meses até receber o convite do Thiago Scuro para terminar o tratamento no Red Bull Brasil. Deu tudo certo, e hoje estou vivendo um bom momento aqui".

"Desde o começo, o Thiago sempre falou que o projeto era tentar subir. Não conseguiu, mas fez a parceria (com o Bragantino) e na primeira Série B já fomos campeões. Conseguimos participar da Sul-Americana no primeiro ano do Brasileiro. Agora, o projeto é continuar fazendo meu trabalho, ajudando os mais jovens que vão precisar. Espero continuar ajudando eles para que o projeto continue depois que eu parar”, disse o atacante.

Mesmo sendo um dos atletas mais experientes em um grupo em que a média de idade é de 23 anos, ele deseja que a equipe siga viva em todas as competições até o fim da temporada.

“Eu gosto de jogar quarta e domingo. Prefiro descansar no dia a dia, dos treinos, do que nos jogos. Espero que continue essa maratona até novembro. Basta a gente se classificar nos campeonatos. Não sou fã de concentração, é o que pego mais no pé, prefiro estar dentro de casa. Mas vamos trabalhando a cabeça. Espero continuar nessa maratona e que a gente comece a ganhar de novo”, disse Ytalo

Aos 34 anos, Ytalo não tem mais tempo a perder. Ele sabe como foram dolorosos os longos períodos que perdeu ao longo da carreira por causa das contusões. A primeira delas ocorreu na coluna, quando ainda era um adolescente.

“Tive que ser carregado até a cama e depois descobrirmos que tinha sido a vertebra que tinha saído do lugar. Era uma lesão que dava em pessoas com mais de 40 anos e eu com 15 anos estava enfrentando isso. Foram seis meses de recuperação. Uma mudança na vida. Durante os dois primeiros meses de tratamento eu achei que não voltaria mais a jogar", contou.

Em 2013, quando voltou do Marítimo, de Portugal, o atacante teve uma lesão séria no joelho e ficou mais seis meses sem jogar. Neste período, ficou desempregado e trabalhou por alguns meses em um mercadinho em Porto Alegre. Depois disso, ainda precisou operar o mesmo local quando teve a maior chance da carreira no São Paulo, em 2016.

“Passaram várias coisas na cabeça, mas sempre fui cabeça boa e sempre pensando em voltar a jogar. Normalmente são nove meses de recuperação e eu consegui voltar com cinco meses e meio. Meses mais tarde fui jogar no Linense, estava no meu quarto jogo e quebrei o pé", contou.

Nada disso foi o suficiente para o atacante abandonar a carreira. Toda a persistência deu resultado. Ytalo foi o autor do primeiro gol do Red Bull Bragantino na história da Libertadores, na vitória em casa sobre o Nacional, do Uruguai.

“Dentro de campo tem que ser ranzinza. Os mais jovens sempre pensam mais na frente, e eu penso no dia a dia. É um momento especial. O grupo é muito forte. Temos que ganhar o jogo na terça-feira. Espero que possamos fazer um bom jogo e sair com a vitória, para na última rodada sair com o objetivo de classificação na Libertadores. Tem que pensar jogo a jogo e ser ranzinza pode fazer a diferença em jogos assim”, falou Ytalo.

Atualmente com cinco pontos e na vice-liderança, o Bragantino pode ficar mais perto das oitavas se derrotar o Estudiantes.