<
>

Conmebol aumenta punição em casos de racismo; veja o que mudou

play
'Cansa para quem sofre': como racismo deixou futebol em segundo plano na América do Sul (6:38)

'A Argentina ainda está um passo atrás', afirma Marcelo Carvalho, diretor do Observatório da Discriminação Racial no Futebol (6:38)

Multa agora é de 100 mil dólares (R$ 500 mil), e clubes podem ter que jogar com portões fechados


Depois de seguidos e recentes episódios de racismo contra torcedores de clubes brasileiros em jogos da Conmebol Libertadores e da Copa Sul-Americana, a Conmebol anunciou, nesta segunda-feira (9), mudanças em seu Código de Disciplina com punições mais duras para clubes cujos torcedores cometam atos de racismo.

Agora, a multa mínima, que antes era de 30 mil dólares (R$ 150 mil), passa a ser de 100 mil dólares (cerca de R$ 500 mil), valor que pode aumentar dependendo da gravidade ou em caso de reincidência.

Além disso, os clubes punidos poderão ter que jogar com portões fechados por um ou mais jogos, ou ainda com parte das arquibancadas fechadas. Esse tipo de sanção não era previsto no código anterior.

''Qualquer Associação Membro ou clube cujos torcedores insultem ou atentem contra a dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas, por qualquer meio, por motivos de cor de pele, raça, sexo ou orientação sexual, etnia, idioma, credo ou origem, será sancionada com uma multa mínima de cem mil dólares americanos (USD 100.000). Da mesma forma, o Órgão Judicial competente poderá impor a sanção de jogar um ou vários jogos à porta fechada ou o fechamento parcial do estádio'', diz o novo Código de Disciplina.

Confira o artigo 17 do Código de Disciplina:

''ARTIGO 17. DISCRIMINAÇÃO

1. Qualquer jogador ou oficial que insulte ou atente contra a dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas, por qualquer meio, por motivos de cor de pele, raça, sexo ou orientação sexual, etnia, idioma, credo ou origem, será suspenso por um mínimo de cinco jogos ou por um período de tempo mínimo de dois meses.

2. Qualquer Associação Membro ou clube cujos torcedores insultem ou atentem contra a dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas, por qualquer meio, por motivos de cor de pele, raça, sexo ou orientação sexual, etnia, idioma, credo ou origem, será sancionada com uma multa mínima de cem mil dólares americanos (USD 100.000). Da mesma forma, o Órgão Judicial competente poderá impor a sanção de jogar um ou vários jogos à porta fechada ou o fechamento parcial do estádio.

3. Se as circunstâncias particulares do caso requerem, o Órgão Judicial competente poderá impor sanções adicionais à Associação Membro ou ao clube, jogador ou oficial responsável.

4. Se proíbe qualquer forma de propaganda de ideologia antes, durante e depois da partida. Aos infratores dessa disposição, serão de aplicação as sanções previstas nos pontos 1 ao 3 desse mesmo artigo.”