<
>

Botafogo: meia que fez quatro jogos no clube é preso por envolvimento com crime organizado no Equador

Gabriel Cortez atuou apenas em quatro partidas pelo Botafogo antes de ser dispensado em 2020


Gabriel Cortez chegou ao Botafogo no início de 2020 como uma das esperanças do setor criativo. No entanto, poucos meses depois deixou o clube após quatro jogos por exaltar o Flamengo em live com os amigos. Nesta sexta-feira (22), foi preso no Equador.

O meia equatoriano, que defende o Barcelona, foi detido pela polícia equatoriana por suspeita de envolvimento com o crime organizado local. O jogador foi preso em Guayaquil e transferido para Esmeraldas, cidade litorânea do Equador.

"Não apenas acreditamos que ele tenha participação (com a organização Los Tiguerones), mas foi ele quem ordenou e recebeu as informações sobre as pessoas que os assassinos atacaram, privando-as de suas vidas”, disse Patricio Carrillo, Ministro do Interior.

Ao todo, a polícia equatoriana prendeu 18 pessoas ligados à facção criminosa em batidas nas cidades de Esmeraldas, Guayas e Manabí. Na operação, também foram apreendidas 16 armas, 29 munições, 3 veículos e drogas.

Gabriel Cortez surgiu para o futebol sul-americano como uma das grandes promessas do Independiente del Valle. Antes de chegar ao Botafogo, atuou por Lobos BUAP, do México, e Emelec. No Glorioso, foram apenas quatro jogos.

O atleta, durante live no Instagram, exaltou o Flamengo publicamente, o que pegou mal dentro da diretoria. Com isso, Paulo Autuori, técnico do clube na época, informou ao equatoriano que não contava mais com sua presença para o restante da temporada. Com isso, Cortez teve o contrato rescindido.