<
>

F1: Por que Hamilton largou sozinho e mesmo assim caiu para último no GP da Hungria

Com chuva, o Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1 na manhã deste domingo (1º) virou uma bagunça só logo na primeira curva, com batida, bandeira vermelha, correria para os boxes e uma cena inusitadíssima: Lewis Hamilton fez uma largada completamente sozinho, mas ainda assim caiu para o último lugar.

A culpa toda, admitida pelo próprio em entrevista à Band, foi de Valtteri Bottas. O piloto da Mercedes errou a freada, acertou Lando Norris e o empurrou em cima de Max Verstappen. Sobrou também para Sergio Pérez, que vinha do lado esquerdo do finlandês.

Teve mais. Um pouco atrás, Lance Stroll e Charles Leclerc também se enroscaram. Com as pancadas, Hamilton, que saíra na pole, se mandou, e o saldo foi de Norris, Pérez, Stroll, Leclerc e Bottas fora da corrida.

Veio a bandeira vermelha. E no reinício, a relargada foi parada. Só que quase todos os pilotos foram largar dos boxes para já trocarem os pneus de chuva por intermediários - Mick Schumacher optou pelos duros -, quase todos porque Hamilton alinhou no grid.

Completamente sozinho. E com os pneus de chuva ainda. Só o safety-car atrás. Cena histórica!

Foi um erro tremendo da Mercedes, porque o Sol já dava as caras em Budapeste. E o inglês pagou caro: em pouquíssimo tempo caiu da ponta para a última posição, tendo que iniciar uma prova de recuperação.

O francês Esteban Ocon, da Alpine, foi quem ficou com a ponta e a sustentava até a volta 37 das 70 previstas para a corrida - Hamilton já era o quinto, e Verstappen o 11º. Vale dizer que na saída maluca dos boxes, Mazepin tocou em Raikkonen e também abandonou.

Um início de prova para entrar para a história da Fórmula 1.