<
>

Hamilton vence na Turquia, conquista o hepta na Fórmula 1 e iguala Schumacher

2008, 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e...2020. Sete vezes Lewis Hamilton! A Fórmula 1 agora tem dois líderes históricos em títulos. O inglês confirmou a conquista da temporada neste domingo com uma vitória impressionante no GP da Turquia e se igualou a Michael Schumacher.

Em uma temporada em que se mostrou também um campeão fora das pistas por seu engajamento na luta contra o racismo, o piloto da Mercedes já tinha alcançado o recorde de vitórias (Schumacher conseguiu 91) e ampliou a marca ao chegar a sua 94ª de forma espetacular.

Hamilton largou na sexta posição, pulou para a terceira, mas voltou para sexto logo na primeira volta ao cometer um erro. O piloto da Merecedes fez uma estratégia de um único pit stop, o que funcionou perfeitamente.

Aliás, a segunda parada foi momento que mudou a corrida de Lance Stroll, que largou na pole e sonhava com sua primeira vitória ou ao menos o terceiro pódio na carreira. Porém, o canadense acabou em nono.

O domínio tão gigante do inglês de 35 anos na categoria ainda foi simbolicamente representado com o fato de ter dado uma volta em Valteri Bottas, que viveu um fim de semana para esquecer. O finlandês, que era o único com chance de evitar o título de Hamilton, rodou na primeira volta e outras vezes mais, terminando em 14º.

Hamilton chegou a 307 pontos e não pode mais ser alcançado por ninguém, com mais três corridas por serem disputadas em 2020. Bottas tem 197 unidades.

O domingo ainda foi memorável para Sergio Perez, da Racing Team, que foi o segundo colocado, igualando seu melhor desempenho na história, o que havia conseguido duas vezes em 2012.

Além disso, o mexicano conseguiu seu nono pódio na categoria, o primeiro desde 2018. Sebastian Vettel ficou com o terceiro lugar pós ter saído em 12º e ter passado o Leclerc na última volta, após um erro do companheiro de Ferrari. Foi o primeiro pódio do alemão na temporada.


A corrida (maluca)

Esperava-se uma prova bem difícil e problemática, considerando a combinação de asfalto novo e molhado, por causa da chuva. E a largada foi justamente assim. Max Verstappen saiu mal e perdeu posições, inclusive para Lewis Hamilton, que foi de sexto para terceiro. Valteri Bottas rodou e caiu para as últimas colocações, assim como Esteban Ocon que foi tocado pelo companheiro Daniel Ricciardo na primeira curva.

Lance Stroll manteve bem a primeira posição, e Sergio Perez passou Verstappen para confirmar as duas Racing Point à frente.

Hamilton erraria na primeira volta por conta da dificuldade de ter aderência e foi da terceira para a sexta posição, justamente de onde largou.

Outro destaque do começo do GP foi Sebastian Vettel, que saltou de 11º para terceiro.

Depois do tumultado começo de corrida, as Red Bulls esperariam mais tempo para trocar os pneus de chuva para intermediário, e a estratégia ajudou a Verstappen ganhar o terceiro lugar de Vettel.

Na 16ª volta, Albon aproveitou erro de Hamilton, ganhou a posição e ainda passou Vettel para pular para quarto.

Já na 18ª, Verstappen foi atrás de Perez em busca do segundo lugar, mas rodou e caiu para sexto, indo para o pit imediatamente para trocar os pneus, retornando em oitavo. Por falar em rodar, Bottas perdeu o controle do carro pela quarta vez já na 22ª volta.

Por volta da metade da prova. Leclerc colocou novos pneus intermediários, emplacou voltas mais rápidas e outros pilotos seguiram o mesmo caminho, mas Perez, Hamilton e Verstappen foram mantendo os mesmos pneus. Na 37ª volta, Hamilton passou Perez para assumir a liderança, logo após Stroll ter ido aos boxes.

Hamilton não parou, ultrapassou Perez na pista, e seguiu tranquilo para confirmar o triunfo. O inglês não só confirmou o título, como venceu a décima de 14 corridas da temporada. Nem asfalto novo, nem chuva, nem corrida maluca podem negar que Lewis Hamilton é o campeão. O maior da história.


Próxima corrida

Os pilotos voltarão a pista para o GP do Bahrain em 29 de novembro, o antepenúltimo da temporada.