<
>

Fórmula 1: Chefe da Mercedes afirma que GP do Brasil não deve acontecer em 2020

play
Mercedes mostra detalhes de nova pintura do carro na semana de estreia da Fórmula 1 em 2020 (0:09)

Carro entrará em ação nesta semana, no GP da Áustria | via @mercedesamgf1 (0:09)

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, comentou a postura dos bastidores da Fórmula 1 em relação às chances do Grande Prêmio dos Estados Unidos e do Brasil acontecerem neste ano, agendados para os meses de outubro e novembro, respectivamente.

Segundo ele, a situação dos países com o coronavírus impede a realização dos eventos. "Olhando agora, você não pode imaginar que iríamos para lá", afirmou, em entrevista à BBC.

Depois do primeiro dia de treinos livres no GP da Áustria, o primeiro da temporada, Wolff revelou que Chase Carey, chefe da F-1, não está otimista a respeito da viabilidade das duas corridas.

"Com base nas minhas conversas com Carey, ele não quer fechar nenhuma porta, mas não parece que iremos para lá. Eles são muito cuidadosos e não iriam lá se isso representasse um risco para o nosso povo", disse.

De acordo com a BBC, Wolff foi perguntado apenas sobre Estados Unidos e Brasil, mas a resposta também se aplica ao México.

Atualmente, o calendário da F-1 tem apenas oito corridas confirmadas, todas na Europa, e no intervalo das próximas dez semanas.