<
>

Worlds: Conheça os 5 melhores top laners na disputa do Mundial de LoL

play
Exclusivo: Jovirone conta como se tornou o novo streamer da Fnatic (3:17)

Um dos maiores streamers do Brasil, Jovirone vai jogar nas redes com o manto de um dos times mais tradicionais dos esports (3:17)

A décima edição do Mundial de League of Legends começa nesta sexta-feira em Xangai, e com ele os melhores jogadores do mundo vão mostrar todas as suas habilidades.

A ESPN criou top-5 para cada uma das posições do Rift – top lane, jungle, mid lane, AD carry e suporte – e hoje vamos dar uma olhada nos top laners que têm tudo para fazer barulho no Mundial.

Zoom (JD Gaming)

Devido à destreza do jungler da JDG, Kanavi, Zoom foi frequentemente esquecido como um membro crucial da equipe até que ele voltou da quarentena e a equipe entrou em uma sequência de vitórias que os levou ao título de LPL Spring. As estatísticas de verão mais recentes de Zoom não são tão impressionantes quanto as de seus oponentes nesta lista, então, mesmo depois de assistir sua impressionante luta em equipe, é difícil quantificar o quão bom Zoom é em League of Legends, e ele é muito bom. Já se passou muito tempo desde que o LoL teve um top laner que pode fazer tanto por seu time com campeões tank (especificamente Ornn). A verdade é que ele pode fazer tudo que a JDG precisar que ele faça para vencer. – Emily Rand

369 (Top Esports)

Além de ter um gamertag que lembra os espectadores ocidentais de uma parte de "Get Low", música do rapper Lil Jon, 369 permaneceu relativamente desconhecido fora da LPL até pouco tempo. Durante a Mid-Season Cup em maio, ele finalmente teve a chance de impressionar os telespectadores fora da China por estar em um palco internacional. Ao contrário de Zoom, a destreza de 369 nas lanes fica evidente em suas estatísticas durante o summer split, quando ele foi o primeiro entre todos os tops da LPL em diferencial de XP em 10 minutos (229) e o segundo em diferencial de CS em 10 minutos (8,5) e CS por minuto (8.4). – Emily Rand

Nuguri (DAMWON Gaming)

Em uma liga que se tornou famosa ao longo dos anos por produzir laners estáveis e versáteis, Nuguri tem sido um talento especial na LCK da Coreia do Sul desde que se tornou profissional no início de 2019.

Enquanto a maioria de seus contemporâneos jogou com Ornn ao longo do ano, Nuguri só usou o campeão quatro vezes durante todo o ano. Ele tem uma vasta preferência de campeões nos quais pode ganhar vantagem inicial e quebrar a oposição rushando em uma lane solo. Ele é um dos líderes da região quando se trata de abates solo. Ele produziu a maior média de dano por minuto (571) entre os melhores laners da Coreia do Sul por uma ampla margem - quase 100 pontos a mais do que o segundo colocado - o que o coloca em 4° lugar geral na região, apenas atrás de três jogadores AD carry. - Tyler Erzberger

Wunder (G2 Esports)

Wunder retorna ao Mundial após uma aparição na final em 2019. Embora os títulos consecutivos da G2 no LEC possam não mostrar isso, foi um ano mais difícil para o melhor time da Europa. A equipe passou uma troca de papéis entre o mid laner Caps e Perkz, mas não deu certo. Então, o pai de Perkz morreu, o que o levou a tirar uma licença, e a G2 lutou para encontrar uma identidade, enquanto Perkz e o jungler Jankos não conseguiram se apresentar no mesmo nível do ano passado.

Wunder tem sido uma constante em seu sucesso. Ele mostrou durante toda a temporada que está um nível acima do resto dos melhores laners da região. Wunder usou alguns campeões de carry pela G2 - Jayce, Lilia, Vladimir, Kayle e Akali - mas também experimentou campeões top laners que davam mais apoio. Ao longo do caminho, Wunder deixou claro que ele é o segundo melhor jogador de toda a Europa, atrás apenas de Caps nesse aspecto, e um dos melhores top laners do mundo. - Jacob Wolf

Bin (Suning)

Top lane é uma posição um pouco estranha para classificar no Mundial deste ano, e será interessante ver se haverá uma mudança de meta, especialmente se os rumores de um meta bot lane forem verdadeiros. Será um teste particularmente interessante para Bin, já que seu pool de campeões não foi testado tanto quanto o de seus adversários de LPL. Bin lembra um pouco 369 no ano passado. Enquanto assistia Bin nas finais regionais da LPL, um de meus amigos disse "a dualidade de Bin", o que significa que às vezes Bin executará jogadas incríveis e mecanicamente estonteantes, e outras vezes ele errará no flanco ou na iniciação de alguma jogada. Bin é um novato talentoso com um futuro promissor, e o Mundial deve oferecer a ele um palco para fazer seu nome. - Emily Rand

*Originalmente publicada no ESPN Esports