<
>

Inspirado por Derrick Rose, Absolut conta como superou lesão que o tirou do LoL por seis meses

play
Chat Aberto: Absolut fala de sua tendinite e de como deu a volta por cima (8:55)

Atirador do Flamengo abre o jogo no ESPN Esports (8:55)

Depois de se ausentar do competitivo por seis meses para poder tratar uma lesão, Absolut retornou ao Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) em grande estilo. A reestreia vitoriosa vestindo a camisa do Flamengo deixou o atirador feliz, como conta o próprio ao ESPN Esports Brasil: "Ainda tinha aquela dúvida se eu conseguia performar ou não".

"Fico feliz porque fiquei seis meses sem jogar e tendo uma estreia tão boa quanto tive, o time rendendo e a gente ganhando, só me dá mais motivação e confiança. Me dá a certeza de que eu consigo performar bem", afirma o jogador.

Apesar de ter ficado afastado apenas por um semestre, Absolut relembra que o tratamento da lesão foi feito durante todo 2019: "Foi o ano passado inteiro, mas na primeira etapa cheguei a jogar. Foi aí que eu vi que essa de jogar e tratar ao mesmo tempo não ia resolver tanto. Na segunda etapa acabei não jogando e focando só em melhorar a minha mão".

Absolut revela que a lesão que teve não foi uma tendinite, mas sim uma tenossinovite, que é classificada como uma tendinite acompanhada por uma inflamação da cobertura protetora sobre o tendão. De acordo com o jogador, a causa foi o "cansaço da musculatura tanto do antebraço, quanto da mão por ter ficado 'fazendo a mesma coisa o dia inteiro'".

O jogador, contudo, revela que o tratamento não o tirou por completo do mundo do League of Legends. "Como é mais coisa de bastidor, as pessoas não tinham acesso ao que eu estava fazendo. Não era porque estava lesionado que eu esqueci o LoL. Eu estava acompanhando os treinos, vendo os campeonatos e estudando o jogo. Só não estava jogando", aponta.

Atualmente no Detroit Piston, Derrick Rose serviu de inspiração para Absolut durante o tratamento por conta da história de superação do jogador de basquete norte-americano: "Ele tem história semelhante por lesão, de superação, mas meu caso é uma dimensão menor. Me inspirou bastante tendo em vista que o pessoal ficou nessa de que eu não conseguiria mais jogar, que eu não tinha braço".

O atirador também falou sobre o atual. Absolut rasgou elogios a Luci, dizendo que gosta de atuar ao lado do sul-coreano porque "a gente tem uma ideia parecida de como jogar o jogo e isso facilita bastante porque sempre estamos na mesma página".