<
>

Djoko elogia bom início do Flamengo no CBLoL mas fala que equipe não está 'em outro patamar'

Djoko no comando do Flamengo no CBLoL 2020 Riot Games

Atual campeão, o Flamengo começou a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) 2020 com o pé direito vencendo os dois compromissos que tinha pela rodada de abertura. Início este que jogou uma pá de terra na desconfiança que a torcida tinha sobre o time e serviu para aumentar o moral dos Rubro-Negros, mas não ao ponto da equipe achar que está em "outro patamar". Foi o que comentou o treinador Djoko em entrevista coletiva concedida após a vitória sobre Vivo Keyd neste domingo (26).

"Não acho que estamos em outro patamar. Acredito que nos preparamos para a primeira semana de forma muito bem sucedida, não só individualmente, como também coletivamente e estrategicamente. Senti que os jogadores conseguiram falar e serem ouvidos numa proporção melhor e é muito mais a gente fazer o nosso trabalho de forma bem feita do que estarmos num outro patamar. Tem muito ainda a se trabalhar e ainda é muito cedo para cravar qualquer coisa", analisou o comandante Rubro-Negro

Se no sábado (25) o Flamengo conseguiu chegar à vitória contra a paiN Gaming por meio do jogo coletivo, diante Vivo Keyd o individual falou mais alto e foi essencial para o Rubro-Negro conquistar o segundo triunfo no torneio. Na opinião de Ranger, as exibições individuais dele e dos companheiros serviram para a equipe quebrar o entrosamento já criado pelos Guerreiros.

"Acho que hoje foi fator individual mesmo, enquanto ontem a gente teve bastante decisões coletivas boas. Nesse jogo eu senti mais que foi a rota inferior criando vantagem e depois conseguimos fazer o passo-a-passo de uma forma legal. O time deles é bem mais entrosado que o nosso e o fator individual acabou pesando muito", afirmou o caçador.

Djoko pensa igual: "Em vários momentos entregamos pickoffs e possibilidades que não deveríamos entregar. Poderíamos ser mais entrosados, sim. Concordo com o Ranger nisso e com o fato que o individual cresceu bastante, excepcionalmente o Luci, que senti que estava num jogo muito bom e foi o fator que pesou para o nosso lado".

Além de ter jogado bem contra paiN e Keyd, Ranger chamou atenção de todos pela vibração que voltou a apresentar não só diante as câmeras, mas também nas redes sociais. A comunidade, inclusive, já começou a bringar falando que o "Ranger raiz" voltou e, de acordo com o jogador, isto é consequência de estar se sentindo confortável e voltar a jogar ao lado de jogadores que também gostam de "gritar".

"Me sinto mais confortável para ser mais enérgico durante o jogo quando tem álguem para fazer isso comigo. Na KaBuM, na etapa passada, não tinha ninguém que gostava de gritar. Nesse jogo o Absolut começou gritando e eu falei que não precisava. mas depois eu comecei a gritar também. Acho que é mais a característica dos jogadores do time", opinou.

O caçador falou ainda sobre o retorno do companheiro ao competitivo: "Por mais que o Absolut tenha ficado um Split sem jogar, ele continuou em contato com Team oNe, acompanhando os treinos, e no bootcamp lá na Coreia do Sul a gente teve a felicidade de ficarmos próximos. Nos víamos e conversávamos todos os dias sobre o jogo, o que deu para eu perceber como ele enxergava as coisas. Consegui, aos poucos, dar dicas que ele ia absorvendo. Hoje, ele se tornou um jogador mais versátil, mais mente aberta e aos poucos a gente está trabalhando essa mentalidade. O desempenho dele é um dos melhores do time no momento".

Com as duas vitórias conquistadas na rodada de abertura o Flamengo começa a primeira etapa sendo um dos líderes e, na próxima semana, duelará contra Prodigy no dia 1º de fevereiro e Furia, no dia 2.