<
>

CBLoL: Diretor de esports da Riot comenta migração para franquias e aumento de times

play
Chefe de esports da Riot Games explica chegada de franquias no Brasil (4:42)

Carlos Antunes também fala da chegada do torneio de Team Fight Tactics (4:42)

Não é de hoje que a chegada das franquias ao Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) vem sendo discutida dentro da comunidade. Mas o assunto voltou a ganhar força, nesta terça-feira (21), após a Riot Games revelar que já deu início ao processo de migração para o modelo que já vem sendo utilizado em ligas de outras regiões, como na América do Norte.

Ao ESPN Esports Brasil, o diretor de esport da Riot Games no País, Carlos Antunes, contou que a empresa começou a estudar o modelo de franquias no início de 2019, "olhando o resultado e como estava acontecendo na Europa e na América do Norte, principalmente, e entendendo os pontos que estavam dando certo, além da dificuldade que acontece no começo da operação".

"Depois que criamos um certo entendimento do que poderiam ser as regras e o que aqui no Brasil a gente precisa ter uma atenção especial, como fomento no cenário, revelação de novos talentos e a própria parte do modelo financeiro já que franquias esportivas não são tão comuns aqui, iniciamos conversas com os times e uma checagem de vários pontos no desenho, com o processo se estendendo durante o ano", explicou o executivo.

Com a possibilidade do CBLoL adotar o sistema de franquias, inevitavelmente, o aumento do número de participantes também é cogitado por todos que fazem parte da comunidade. Ideia esta que não é rechaçada pela empresa, de acordo com Carlos Antunes.

"Existe a possibilidade [do aumento do número de equipes]", afirmou o executivo, que complementou dizendo que "depende muito do que a gente encontrar de organizações interessadas e do impacto que isso pode trazer em relação a cronograma e aspecto financeiro. Agora que falamos em ter um modelo de franquias, toda questão do negócio passa a ser importante porque ela é compartilhada entre os sócios. Mas existe, sim, o pensamento de a gente crescer o número de times. Se não no início, o que é possível, ao longo do tempo".

A reportagem aproveitou a oportunidade em conversar com o diretor de esports para questionar sobre a presença de público no estúdio que recebe as pertidas do CBLoL durante a Fase de Classificação. Carlos Antunes afirmou que isso não acontecerá nesta temporada, mas abre a possibilidade de ocorrer com a chegada do modelo de franquias.

"Nesse ano a gente não imagina receber público na fase regular porque, como vocês vão ver na transmissão, vamos trazer novidades em relação a apresentação. Então, a gente precisa de espaço. Com relação a questão de público presente, isso certamente no desenho da franquia - onde a gente precisa fazer muitas mudanças -, está sendo levado em consideração". Mas para a fase regular do CBLoL 2020 a gente ainda não vai estar recebendo público", apontou.