<
>

Campeão pelo Corinthians, NOBRU aponta que Free Fire transformou a vida de muitos jogadores

Nobru e outros jogadores opinaram sobre o crescimento do Free Fire no Brasil Garena

Se tem uma modalidade que, atualmente, é considerada a “galinha dos ovos de ouro” no cenário brasileiro de esportes eletrônicos, esta é Free Fire. Fenômeno entre a população do País, responsável por colocar as transmissões das competições na casa dos milhões, o jogo vem não só recebendo aporte financeiro da desenvolvedora, Garena, como também de grandes marcas do mercado tradicional e do próprio esport.

Apoio este que, na visão de NOBRU, foi essencial para transformar a vida de muitos daqueles que competem no Free Fire.

Ao ESPN Esports Brasil, o campeão da terceira temporada da Pro League apontou que, "se observamos as recentes novidades no competitivo, como a entrada do Timão e outras equipes, houve a diminuição de times sem uma empresa por trás, o que fez com que o jogo transformasse a vida de muitos jogadores".

"Fica evidente que o Free Fire deixou de ser um pequeno nicho dentro dos esports e passou a ser um jogo realmente inserido no competitivo. Hoje, os jogadores têm contratos e remuneração, algo que era raro no ano passado", opinou.

Na opinião do integrante da LOUD, ViniZx, Free Fire mostrará, assim como outras modalidades fizeram em um passado recente, que estão nos esports pra valer: "Estamos dando um passo de cada vez, mas logo estaremos correndo a frente de muitos".

Sharin complementou o companheiro de equipe afirmando que "já chegamos a um cenário profissional, principalmente quando vemos todos os times e organizações mostrando todo o potencial que possuem".

Integrantes da paiN Gaming, UBiTa e Coronel, assim como o líder da Black Dragons, Papakill, também enxergam que o competitivo de Free Fire já se tornou profissional.

"Hoje podemos ver, realmente, o quanto tá grande o competitivo no Free Fire. Várias empresas investindo no jogo e aumentando ainda mais o profissionalismo dos jogadores", opinou Coronel.

"O Free Fire já está profissional e crescendo diariamente com campeonatos novos surgindo, além de times e organizações importantes ingressando no cenário. Muitos jogadores já sobrevivem com salários conquistados por meio do jogo", afirmou Papakill.

TRANSMISSÃO RECORDE

Disputada no sábado (9) dentro do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, a fase final da Pro League de Free FIre, que definiu Corinthians e LOUD como as representantes do Brasil no Free Fire World Series, o Mundial da modalidade.

Se a última edição do torneio já havia espantado a todos com a transmissão alcançando 800 mil espectadores, os números referentes a visualização da fase final da terceira temporada foram ainda maiores: pico de 1.050.304 pessoas de acordo com apuração feita pelo Esports Charts.