<
>

'Temos os melhores jogadores do Brasil', aponta treinador da paiN sobre escalação de Free Fire

Equipe de Free Fire da paiN Gaming Divulgação/paiN Gaming

Atual campeã da Pro League de Free Fire, a paiN Gaming chega para a fase final da terceira temporada da competição como a principal favorita. Não somente pelo título conquistado quando a equipe ainda era New X, mas também pela ótima campanha feita na Fase de Grupos da atual edição, na qual o time foi aquele que obteve a maior pontuação geral.

Para o treinador da equipe, Coronel, a principal diferença entre paiN e os demais finalistas da Pro League é que o clube "tem os melhores jogadores do Brasil". Já UBiTa aponta, em entrevista ao ESPN Esports Brasil, que "uma das grandes diferenças [entre paiN e os demais times] é o nosso entrosamento da equipe e o nosso foco nos treinamentos. Não que as outras equipes sejam inferiores, mas estamos aqui para ser a melhor do Brasil novamente, com olho no mundial".

“Hoje temos o reconhecimento de várias equipes como sendo uma das favoritas e, para continuarmos com nosso bom rendimento, temos um foco grande em nosso treinamento", completa o jogador.

New X se tornou paiN logo após o título da segunda temporada. Coronel fala que ele e os jogadores não pensaram duas vezes quando o convite chegou. “Sabemos o quão grande a paiN é. Quando eles entram em qualquer cenário é para conquistar títulos. Então, por isso aceitamos vestir a camisa do clube e trazer mais conquistas”.

O comandante também foi claro em relação a pressão de conquistar o bicampeonato da Pro League: “Sim [existe essa pressão]. As pessoas esperam muito isso da gente. Por isso, estamos muito focados em sermos campeões mais uma vez”.

PONTUAÇÃO HISTÓRICA

A paiN Gaming foi a equipe que mais pontuou durante a Fase de Grupos, a qual fechou na liderança do Grupo A com 3805 pontos. Deste total, foram 2040 obtidos com eliminações de adversários durante as quedas. Pontuação esta que, de acordo com UBiTa, mostra que “temos um estilo de jogo bastante agressivo nas trocações. Avançamos sem medo caso a situação seja favorável”.

Coronel aponta que o estilo de jogo é favorecido pela “formação muito boa” que a paiN tem para trocação: “É a nossa vantagem. Quando avistamos alguém que está na frente, vamos para cima sem ter medo. Isso faz toda diferença. O nosso estilo é bem agressivo. Se derrubar [o adversário], já gritamos para finalizar”.

Além da paiN, outras 11 equipes também se classificaram para a fase final da terceira temporada da Pro League de Free Fire. Lúcido, Coronel fala que se trata de um novo campeonato. Mas o treinador acredita que a paiN "não tem adversário que possa prejudicar, mas é bom ficar atento a INTZ e LOUD por que já possuem boa experiência no torneio e também utilizam o celular que será usado na final. Isso pode fazer uma diferença".

Nessa temporada da Pro League, além da premiação, está em jogo também a vaga destinada ao Brasil no Free Fire Worlds Series, o Mundial da modalidade. Poder brigar por uma vaga no torneio mais importante da temporada "dá um gás a mais", na opinião de UBiTa. O jogador afirma ainda que a paiN está "mirando na Pro League para chegar ao Mundial e mostrar a força do Brasil e da nossa equipe para o mundo".

JOGANDO EM CASA

A paiN é uma das equipes que mais possui jogadores do Rio de Janeiro, cidade que receberá tanto as finais da terceira temporada da Pro League, como também o Mundial da modalidade.

"Ter a família do lado é sempre um bom motivador. Mostrar que estamos aqui para sermos os melhores e que os esports não são brincadeira", afirma UBiTa, um dos cariocas do time.

Coronel segue a mesma linha do comandado: "Jogar em casa é mais gostoso porque vão ter muitos familiares que vão está torcendo com amor e isso pode fazer a diferença. Com a família por perto dá um incentivo extra".