<
>

Jogador de Magic demonstra apoio aos protestos de Hong Kong durante torneio

Tian durante entrevista no Mythic Championship. Reprodução

Jogador profissional de Magic: The Gathering, Lee Shi Tian demonstrou apoio aos protestos de Hong Kong em entrevista após vitória no torneio Mythic Championship, realizado neste final de semana.

Tian apareceu no palco da competição com um lenço vermelho no rosto para remeter às máscaras utilizadas pelos habitantes de Hong Kong para se proteger do gás lacrimogêneo lançado pelas autoridades e esconder sua identidade. Além disso, o jogador tapou um dos olhos com a mão em apoio a uma jornalista que foi atingida por uma bala de borracha e quase perdeu a visão.

Na entrevista durante o torneio, Tian afirmou que “a vida tem sido muito difícil em minha cidade natal em Hong Kong. É muito bom jogar como um homem livre!”. O público presente no local aplaudiu, e os espectadores online apoiaram jogador e sua iniciativa de chamar a atenção para a situação política do território.

Em seu Twitter, o jogador agradeceu o apoio de todos e explicou que o “período tem sido difícil para mim, mas também me motivou a brilhar ainda mais”.

PROTESTOS E ESPORTS

Tian não foi o primeiro jogador de esports a se manifestar a favor dos protestos de Hong Kong. No início de outubro, o jogador de Hearthstone blitzchung fez o mesmo em uma entrevista durante uma transmissão da Blizzard — mas, ao invés de receber o apoio da publisher e do público, blitzchung foi punido com um ano de banimento do competitivo e a perda das premiações ganhas até então.

Com a má repercussão do caso, a Blizzard voltou atrás e diminuiu o tempo de banimento de blitzchung para seis meses, afirmando que sua decisão não tinha relação com seu relacionamento com acionistas chineses. No entanto, a comunidade ainda criticou a empresa e deu início ao movimento #BoycottBlizzard, com pessoas chegando a solicitar reembolso por jogos comprados.

Outras companhias que também possuem acionistas chineses, como Riot Games e Epic Games, tiveram respostas diferentes. Em 11 de outubro, a Riot publicou um comunicado de John Needham, Diretor Global de Esports de League of Legends, afirmando que o foco de suas transmissões deve ser o jogo e que os casters e jogadores foram lembrados de “evitar discutir” assuntos polêmicos.

Já o CEO da Epic, Tim Sweeney, afirmou ao The Verge que os jogadores profissionais de Fortnite não serão punidos por demonstrar opiniões políticas em transmissões oficiais.

AS MANIFESTAÇÕES

Hong-Kong passa por uma série de protestos há quase cinco meses. As manifestações começaram após a divulgação de um projeto de lei que aumentaria o poder do governo chinês na extradição de residentes do território que pertence à China.

O governo já afirmou que não seguirá com o projeto, mas a população continua indo às ruas exigindo reformas democráticas e denunciando a interferência crescente da capital chinesa nos assuntos do território.