<
>

Chris Paul 'esnobado'? Veja os grandes nomes da NBA que ficaram de fora do All-Star Game

Kristaps Porzingis, Karl-Anthony Towns, Victor Oladipo, Bradley Beal… A NBA anunciou os nomes dos jogadores escolhidos como reservas para o All-Star Game da temporada 2017-18. Mas, claro, algumas das estrelas da Liga ficaram de fora da lista que estará no jogo em Los Angeles no dia 18 de fevereiro.

Talvez o nome “deixado de lado” mais cobrado por fãs seja o de Chris Paul. Em sua primeira temporada com o Houston Rockets, CP3 ajuda James Harden a comandar o time dono da 2ª melhor campanha da Conferência Oeste. Nove vezes All-Star, Paul tem médias de 19.1 pontos, 8.1 assistências e 5.9 rebotes.

O problema da temporada de CP3 é o número de jogos que o armador perdeu por lesões – atuou em 28, ficou de fora de outros 18.

Entre os outros “esquecidos” está um ex-colega de time de Paul. Blake Griffin, que também sofreu com problemas físicos no ano, assumiu o papel de protagonista do Los Angeles Clippers (22.7 pontos e 7.9 rebotes). Mas sem CP3 do lado, o rendimento do time caiu e a briga agora é por vaga nos playoffs.

Ainda assim, se engana quem pensa que o camisa 32 é o único dos Clippers que chegou a ser cotado para o All-Star. Lou Williams, que começou o ano no banco da franquia de Los Angeles, ganhou espaço e se tornou o cestinha do time – 23.3 pontos. Conhecido por sua habilidade para pontuar, Williams marcou 50 pontos contra o Golden State Warriors e, em 2018, tem média de 29.2 pontos (arremessando 40% nas bolas de 3).

Ainda no Oeste, o nome de Paul George também foi lembrado por fãs e pela imprensa. Atrás de Russell Westbrook, o ala é o 2º pilar do Oklahoma City Thunder. O começo conturbado do trio – com Westbrook e Carmelo Anthony – atrapalhou a temporada de PG13. Mas a ascensão do time parecia fazer com que ele fosse uma garantia para o All-Star Game. Mas as médias de 20.8 pontos, 5.5 rebotes e a 5ª posição do Oeste não foram suficientes.

No Leste, o armador Kemba Walker, do Charlotte Hornets, e o pivô Andre Drummond, do Detroit Pistons, foram os principais “esnobados”. Kemba tem médias de 21.8 pontos e 5.9 rebotes. Mas a fraca campanha dos Hornets parece ter tirado o camisa 15 do jogo.

Já Drummond, que chegou a usar o Twitter para reclamar, é o nome dos Pistons, que brigam de perto pela pós-temporada. “Acho que preciso começar a fazer backflips para receber atenção por aqui”, reclamou o camisa 0 que tem médias de 14.3 pontos e 15 rebotes.