<
>

Relembre em 5 tópicos a Tragédia de Heysel, que completa 35 anos

play
Premier League aprova volta dos treinos com contato após 20 votos de 'sim' dos clubes; Natalie explica (1:18)

Retorno das atividades será gradual e outras medidas de prevenção ao coronavírus seguem mantidas (1:18)

Há 35 anos, acontecia um dos episódios mais tristes da história do futebol.

A final entre Juventus e Liverpool pela Copa dos Campeões da Europa (atual Champions League) ficou marcada. Não pelo jogo, mas por conta dos acontecimentos que antecederam o apito inicial no estádio Heysel, em Bruxelas, na Bélgica. Até hoje o dia 29 de maio de 1985 é lembrado com tristeza.

O ESPN.com.br relembra abaixo, em cinco tópicos, a Tragédia de Heysel.

O que foi a Tragédia de Heysel?

A Tragédia de Heysel aconteceu antes da final entre Juventus e Liverpool, pela final da Copa dos Campões da Europa de 1985, em Bruxelas. Torcedores das duas equipes entraram em confronto cerca de uma hora antes do início da partida. A confusão aconteceu em uma arquibancada posicionada atrás de um dos gols.

O estádio de Heysel, na capital da Bélgica, era o palco de uma tragédia anunciada. O local não estava em boas condições e houve superlotação nas arquibancadas. Inicialmente, os torcedores estavam divididos por setores, mas uma área em comum foi destinada para os fãs classificados como 'neutros'. Muitos alertaram para a possibilidade de confusão ali, sobretudo em uma época que o futebol inglês convivia com o terror dos hooligans.

Quantas pessoas morreram?

Ao todo, 39 pessoas (a maioria italianos) morreram na Tragédia de Heysel. Torcedores do Liverpool pressionaram um alambrado para invadir a área onde estavam torcedores da Juventus, e as vítimas acabaram sufocadas na grade, até que ela cedesse.

Além disso, mais de 600 pessoas ficaram feridas. No entanto, estima-se que o número seja ainda maior, já que muitos que escaparam da confusão não procuraram atendimento em hospitais ou pronto-socorros.

A final foi disputada mesmo depois da tragédia?

Por mais incrível que pareça, sim! Mesmo diante do cenário caótico, o árbitro deu início à partida para que Juventus e Liverpool disputassem o título europeu de 1985. A decisão terminou com vitória por 1 a 0 do time italiano, com gol marcado por Michel Platini, de pênalti.

O que aconteceu depois?

Os hooligans acabaram responsabilizados pela confusão - 25 deles foram presos naquele dia. A Uefa ainda decidiu punir os clubes ingleses, que foram excluídos de competições europeias por cinco anos. O Liverpool, seis.

Vale lembrar que os hooligans já contavam com um histórico de violência dentro e fora da Inglaterra. Um ano antes, por exemplo, torcedores do Liverpool haviam entrado em confronto com adeptos da Roma também na final da Copa dos Campeões da Europa.

O que a tragédia representou para o futebol europeu?

A partir de 1985, a Uefa 'acordou' e passou a ser mais rigorosa para evitar novos distúrbios. Era o início de algo que seria ainda mais intensificado na Inglaterra poucos anos mais tarde.

A então primeira-ministra do país, Margareth Thatcher, pressionou a federação de futebol do país para que fossem mais incisivos no combate à violência. Infelizmente, o problema só foi resolvido no país depois de mais uma tragédia, a de Hillsborough, em 15 de abril de 1989. Nela, 96 torcedores morreram e pelo menos outros 766 ficaram feridos durante a semifinal da Copa da Inglaterra disputada em Sheffield, entre Liverpool e Nottingham Forest. Foi quando o governo britânico interferiu e exigiu mudanças nos estádios.