<
>

Lamine Diaby-Fadiga explica que roubou relógio de Kasper Dolberg por 'ciúme' e 'frustração'

Demitido do Nice após confessar ter roubado o relógio de luxo de um companheiro de equipe, Lamine Diaby-Fadiga usou as redes sociais para se explicar. Em publicação nesta quarta-feira, o atacante francês se desculpou com os torcedores e explicou que cometeu o ato por "frustração" e "ciúme" de Kasper Dolberg.

"Infelizmente me machuquei por vários meses e meu retorno às atividades foi adiado ainda mais depois de um cartão vermelho enquanto jogava pela equipe sub-19. Isso me afetou mentalmente e minha difícil situação contrastou marcadamente com o sucesso e a aura de Kasper. Eu o derrubei sem ter motivos para fazê-lo, talvez um pouco por ciúmes. Em vez de tentar lutar no campo para lhe proporcionar uma competição por lugares, reagi estupidamente", escreveu Diaby-Fadiga.

"Minhas ações não foram motivadas pela vontade de tirar algo dele, mas por decepção, frustração e descrédito. É claro que tenho apenas 18 anos, mas minha idade não desculpa nada", acrescentou.

No dia 16 de setembro, o relógio de Dolberg, avaliado em 70 mil euros (R$ 318 mil na cotação atual), foi roubado no vestiário do centro de treinamento do clube. A história repercutiu no mundo inteiro e levou ao rompimento do contrato de Lamine Diaby-Fadiga.

Diaby-Fadiga estava no Nice desde os 13 anos e era uma das promessas do elenco, tendo passado pelas seleções sub-16, sub-17 e sub-18 da França. Pelo time principal, ele disputou seis partidas do Campeonato Francês em 2018-19, sendo duas como titular. Após a dispensa, ele foi contratado pelo Paris FC.

Já Dolberg foi contratado nesta janela por 20,5 milhões de euros junto ao Ajax e soma quatro partidas e dois gols na atuação edição da Ligue 1.