<
>

Matt Hughes processa empresa de trem por acidente quase fatal em 2017

Em 2017, o ex-campeão do UFC Matt Hughes colidiu seu carro com um trem em movimento e sofreu diversos ferimentos, incluindo um período em que permaneceu em coma com risco de morte. Dois anos depois, o americano agora vai atrás da empresa responsável na justiça em busca de um indenização.

Em informação divulgada pelo site ‘MMA Fighting’, Hughes e sua ex-esposa reivindicam um montante de mais de US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil), no qual somam os custos totais com seus advogados e as medidas que tomaram após o incidente, incluindo médicos e medicamentos. A acusação do lutador, registrada no ‘Tribunal de Montgomery’, no estado de Illinois (EUA), é que a empresa do trem, ‘Norfolk Southern Railway’, não disponibilizou sinais de alerta adequados no local e que isso seria necessário, já que era uma área arriscada por pouca visibilidade.

Mas essa disputa promete ser bastante acirrada. O advogado de defesa da empresa, Charles Swartwout, afirmou que o ex-lutador ignorou os avisos de distância para o trem, além de estar falando no celular no momento da colisão. Já os representantes de Hughes exigem cuidados médicos contínuos, principalmente pelas sérias lesões que teve, como uma cerebral, além de febres, depressão, ansiedade, perda de memória e convulsões.

A vida pessoal do americano também não está nada agradável. Recentemente Matt Hughes pediu o divórcio de Audra Hughes e também rompeu com seu irmão gêmeo, Mark Hughes. O ex-lutador já foi acusado de violência doméstica à ex-esposa e ao sobrinho, filho de Mark.

Segundo o ex-campeão do UFC, estes problemas particulares estão diretamente ligados ao acidente, em 2017. Matt alega essas situações aconteceram em decorrência do fato de não conseguir se recuperar dos danos causados pela colisão.