<
>

NBA: Como as lesões e o azar minaram a promissora carreira de Chandler Parsons

Na última segunda-feira, o ala Chandler Parsons, do Atlanta Hawks, anunciou através de seu advogado que as lesões sofridas após um acidente de carro na semana passada podem encerrar sua carreira de atleta de maneira precoce.

O jogador se envolveu em um acidente quando voltava do treinamento, por volta das duas da tarde, e um motorista que dirigia embriagado colidiu com o carro do atleta e outros dois. Agora, Parsons luta contra uma hérnia de disco, uma lesão cerebral e uma torção em uma articulação.

O acidente é só mais um de uma série de infortúnios que minaram uma carreira extremamente promissora. Parsons nunca foi cotado para ser uma superestrela da NBA, mas teve momentos que nos fizeram acreditar que o jogador seria alguém de bastante impacto na liga.

As lesões e o azar, porém, mudaram essa história. Depois de perder apenas um jogo em quatro anos pela faculdade da Flórida, Parsons foi selecionado com apenas a 38ª escolha pelo Houston Rockets em 2011. O ala entrou na liga em um ano que o locaute diminuiu a temporada para 66 jogos, dos quais participou de 63 deles.

Na temporada seguinte, participou de 76 dos 82 e começou a dar uma amostra de seu potencial. Em 2013/2014, jogou duas partidas a menos, mas teve a que segue como sua melhor temporada na carreira. Com médias de 16,6 pontos, 5,5 rebotes e 4 assistências, Parsons foi, sem dúvidas, o segundo melhor jogador de um Rockets que terminou a temporada com 54 vitórias e tinha James Harden e Dwight Howard.

Ao fim de 2013/2014, Parsons era um agente livre restrito. O Dallas Mavericks, então, ofereceu um contrato de três anos e U$ 46 milhões (R$ 192 milhões), oferta que os Rockets decidiram não equivaler e o ala mudou de cidade dentro do Texas.

O começo de Parsons parecia promissor e o ala anotou 32 pontos em 17 de dezembro de 2014 contra o Detroit Pistons, sua maior marca da temporada. Em março, uma primeira lesão no joelho o tirou de sete jogos. Outra contusão no joelho lhe tirou das seis últimas partidas da temporada.

O ala voltou para o primeiro jogo da série de primeira rodada dos playoffs contra os Rockets, mas a mesma lesão o afastou até o final da série e Parsons teve que passar por cirurgia em 1º de maio.

O ala retornou no terceiro jogo da temporada 2015/2016, mas teve minutagem restrita durante as seis primeiras semanas da temporada. Em 25 de março de 2016, passou por nova cirurgia para corrigir a lesão anterior no joelho direito e ficou de fora o restante da temporada.

Apesar das lesões, Parsons teve bons números pelos Mavericks, com média de 14,8 pontos e 39,5% de aproveitamento em bolas de três em 127 jogos disputados.

O suficiente para o Memphis Grizzlies apostar no atleta e oferecer um contrato de quatro anos e U$ 94 milhões (R$ 393 milhões).

Se recuperando da cirurgia, Parsons perdeu os seis primeiros jogos da temporada regular antes de fazer sua estreia. O jogador apareceu em mais cinco jogos antes de ficar afastado por 17 partidas por uma lesão no joelho esquerdo. Em 13 de março de 2017, teve a sua terceira lesão no joelho direito com um rompimento parcial e ficou fora do restante da temporada.

Desde então, Parsons convive com diversas lesões nos joelhos e foram apenas 66 partidas disputadas nas últimas três temporadas. Em 2019/2020, havia entrado em quadra apenas cinco vezes pelos Hawks antes de sofrer o acidente que pode encerrar sua carreira.