<
>

De volta ao UFC, Nick Diaz relembra passado difícil e revela que foi maltratado quando criança: 'Passei por muita coisa'

play
UFC: após ter a boca completamente destruída, lutador mostra dentes 'arrumados' e agradece apoio; VEJA! (0:20)

Devin Clark mostrou o resultado após ter os dentes colocados no lugar (0:20)

Sem lutar desde janeiro de 2015, Nick Diaz se prepara para realizar seu retorno triunfal ao MMA. Neste sábado (25), o ‘bad boy’ volta a pisar no octógono, contra Robbie Lawler, no UFC 266, evento que acontece em Las Vegas (EUA). Mesmo afastado do esporte por tanto tempo, o irmão mais velho de Nate Diaz segue sendo um dos atletas de maior popularidade da modalidade, porém parece disposto a apresentar uma postura diferente da que o consagrou.

Em entrevista ao canal oficial do UFC no ‘YouTube’, Nick revelou que vai abordar a luta contra Lawler de forma mais comportada e leve. Vale lembrar que o atleta ficou conhecido no esporte por adotar uma postura séria, de poucos amigos e com o semblante fechado tanto nas entrevistas, quanto nos combates.

De acordo com o veterano, tal comportamento nada mais é do que um reflexo das dificuldades que passou até chegar ao estrelato no MMA. Inclusive, o atleta deu a entender que se arrepende de certas atitudes que teve em sua carreira, pois acabou recebendo um estigma que não o representa e ganhando a antipatia de parte dos fãs.

“Não sou bom com as palavras. Esse foi o preço que eu tive que pagar, fazer esse tipo de promoção sem parar. Prefiro apenas lutar. As pessoas estavam realmente me atacando, tentando me derrubar de alguma forma antes mesmo de eu lutar. Sinto que o mundo está me martelando tanto, fazendo com que seja uma luta justa. Sempre saio, penso no que estou fazendo e acho que isso não é justo”, declarou o ‘bad boy’, antes de completar.

“Cresci em uma cidade muito complicada. As pessoas com quem cresci estavam sempre brigando. Meu irmão estava se envolvendo em brigas de gangues e lutava na rua. Eu fui esfaqueado. Eu tinha a mentalidade de quando fui maltratado quando criança. Passei por muita coisa. Quando fui lutar na frente de um público, eles nunca tinham visto nada parecido. Eu, realmente, tive vantagem por causa dessa mentalidade. Eu não vou xingá-lo. Serei muito mais esportista”, concluiu.

Apesar de não ter conquistado o cinturão dos meio-médios do UFC, Nick Diaz, de 36 anos, é um dos atletas mais populares do MMA. O ‘bad boy’ se destacou no esporte na base do jiu-jitsu e do boxe. Em sua carreira, o americano disputou o título interino e linear dos meio-médios da organização contra Carlos Condit e Georges St-Pierre, respectivamente, e perdeu para os rivais por decisão unânime.

A última aparição de Nick Diaz no UFC foi diante de Anderson Silva, em 2015, e o duelo terminou em ‘no contest’, já que ambos caíram no doping. O americano possui um cartel profissional de 26 vitórias, dez derrotas, dois ‘no contest’ (luta sem resultado) e triunfos marcantes sobre BJ Penn, Frank Shamrock, Gleison ‘Tibau’ e Robbie Lawler.