<
>

UFC: Arianny Celeste rebate críticas de Khabib às ring girls: 'Vai me respeitar'

play
UFC: Card preliminar em Las Vegas termina com nocaute absurdo de ganês em italiano; veja (1:24)

Abdul Razak Alhassan, de Gana, venceu Alessio Di Chirico, com um lindo nocaute a 4:43 do 1º round (1:24)

Arianny Celeste se posicionou a respeito da polêmica criada por Khabib Nurmagomevov em relação à presença das rings girls nos esportes de combate, principalmente, no UFC.

Como lutador, o russo fazia de tudo para não entrar em polêmicas, mas, uma vez que se aposentou do MMA, o ex-campeão do peso-leve (70 kg) da companhia adotou uma postura diferente.

Em recente coletiva de imprensa realizada na Rússia, "The Eagle" surpreendeu e criticou até mesmo as modelos responsáveis por indicar o número de cada round durante as lutas.

Chateada, a profissional defendeu sua categoria.

Em suas redes sociais, Arianny reprovou o comentário feito por Khabib e exigiu que o ex-lutador respeite não só ela, como também suas companheiras de profissão.

Tudo começou quando o russo classificou as ring girls como "inúteis" e sugeriu que o ofício seja banido do MMA, já que, no seu entendimento, não agrega valor ou interfere nas lutas.

O ex-campeão do UFC foi além e afirmou que um placar eletrônico poderia substituir as moças das plaquinhas.

Ao se defender, Arianny, que atua como ring girl do UFC desde 2006, esclareceu que seu trabalho é mais do que carregar uma placa com o número dos rounds no intervalo das lutas. Orgulhosa de integrar a classe, a modelo listou o que a profissão lhe possibilitou.

Vale destacar que parte dos fãs e demais atletas criticou a declaração de Khabib. Inclusive, Conor McGregor e Nate Díaz questionaram a opção sexual do desafeto.

"Eu trabalho há mais de 15 anos neste setor e aprendi que é mais fácil simplesmente não se importar. Por 15 anos temos sido mais do que apenas ring girls, temos dedicado tempo para promover o UFC, mostrar amor e tempo para nossos fãs inveterados por meio de turnês pelo mundo e aparições. Embora o mundo esteja muito diferente agora, eu ainda posso sentir essa energia e amor cada vez que temos um show com público", escreveu Arianny em sua conta oficial no Instagram, antes de completar.

"São 15 anos de trabalho árduo, dedicação e tempo para ser: uma mulher forte e rica, investidora imobiliária e proprietária não de apenas uma, mas de três casas/propriedades, uma localizada em Los Angeles, que é muito cara, uma mulher que não tem medo de correr riscos para construir meu futuro. Você pode nos chamar de inúteis, mas para pessoas como eu, que trabalharam tanto, isso escorrega dos meus ombros. Minha vida é boa demais para ser infeliz. Você não precisa gostar de mim, mas vai me respeitar. Por último, mas não menos importante, por favor me diga por que os repórteres não têm nada melhor para falar do que mencionar as ring girls? Tem que haver coisas muito melhores para perguntar! Próximo assunto", concluiu.

Arianny Celeste, de 35 anos, é uma das ring girls de maior sucesso na história da profissão e é um ícone do UFC, já que compõe o quadro de funcionários da organização desde 2006.

Em sua carreira, a modelo americana conquistou seis vezes o prêmio de "ring girl do ano" no "Oscar do MMA" e já atuou em filmes e programas televisivos.