<
>

UFC: Amanda Ribas revela estratégia para próxima luta e promete atuação agressiva: 'Não vai ter essa de esperar não'

play
Cormier e Helwani se impressionam com festa para Ngannou no Camarões e dão novidades sobre próximo adversário do campeão (0:44)

Lutador camaronês foi recebido com muita vibração e até desfile no seu país de origem (0:44)

Depois de perder sua invencibilidade no Ultimate ao ser derrotada por Marina Rodriguez, Amanda Ribas vai ter a oportunidade de se recuperar na organização. Neste sábado (8), a brasileira encara a americana Angela Hill, em duelo realizado na divisão dos pesos-palhas (52 kg), no UFC Vegas 26. Motivada para retomar o caminho das vitórias, a atleta natural de Varginha (MG) prometeu mostrar uma nova competidora em ação.

Em entrevista exclusiva à reportagem da "Ag. Fight", a atual número 11 do ranking da categoria comemorou a chance de encarar uma veterana no MMA e elogiou as qualidades da adversária – nove anos mais velha. Ao analisar justamente o jogo que Hill tem colocado em prática em suas últimas apresentações, Amanda destacou que vai poder utilizar sua principal arma e de uma maneira mais agressiva.

“A luta com a Hill vai ser esperada por mim, porque vi que ela está fazendo judô também, então é uma boa oportunidade de mostrar meu judô. É trabalhar minha agilidade, porque ela é muito rápida. Estou bem animada. Ela sabe trabalhar não só área de luta tecnicamente, mas também a parte mental. (…) Podem esperar uma Amanda Ribas mais ativa, buscando a finalização ou nocaute. Não vai ter essa de esperar não”, afirmou.

Ao ser questionada sobre sua última apresentação no octógono, Amanda destacou que aprendeu importantes lições e que vai colocá-las em prática contra Hill. Diante de Marina, a mineira estava melhor no combate quando utilizou a luta agarrada, mas pecou ao fugir da estratégia traçada e acabou nocauteada no segundo round.

“Melhor aprendizado é que dá para trocar em pé e não posso deixar minha mente vacilar. Estou me corrigindo nos treinos, sempre ativa e atenta e serviu de melhor lição. É ficar sempre atenta. É muito importante: estratégia. Na luta tem que estar na minha cabeça atenta para não vacilar. Derrota nunca é legal. Mas nada é do jeito que a gente quer, mas é o que precisamos. É melhorar alguns pontos e foi bom”, explicou.

Após sua última luta, Amanda fez uma campanha para enfrentar Michelle Waterson, número nove da classificação da categoria e que no mesmo evento vai medir forças diante de Marina Rodriguez. Apesar de não ter seu pedido atendido para encarar uma rival acima do ranking, a lutadora afastou a frustração e citou pontos positivos.

“Importante é estar competindo e pegar atletas que estão no ranking. Ela está na ativa, mostrando evolução e é muito bom para mim. Fiquei feliz de o UFC já ter colocado para lutar e não ficar na geladeira, o que acontece com muitos atletas”, completou.

No MMA profissional desde 2014, Amanda Ribas possui dez vitórias e apenas duas derrotas em sua carreira. No Ultimate desde 2019, a brasileira venceu Emily Whitmire, Mackenzie Dern, Randa Markos e Paige VanZant. Entretanto, em sua última apresentação, em janeiro deste ano, a atleta acabou nocauteada por Marina Rodriguez.