<
>

UFC 254: Daniel Cormier fala sobre seu amigo e companheiro de AKA, Khabib Nurmagomedov

play
Alguém pode pegar Khabib? Conheça as maiores invencibilidades do UFC (1:49)

Khabib Nurmagomedov tentará a 29ª vitória diante de Justin Gaethje, na 29ª luta de sua carreira (1:49)

Nota do editor: Daniel Cormier conversou sobre seu amigo e companheiro de equipe na American Kickboxing Academy, Khabib Nurmagomedov, com Brett Okamoto, da ESPN, no início deste ano. Nurmagomedov defenderá o cinturão dos leves do UFC contra Justin Gaethje neste sábado, na luta principal do UFC 254, na Ilha da Luta, em Abu Dhabi. A conversa foi editada para melhor clareza.

Mais do que tudo, Khabib Nurmagomedov e eu somos amigos.

Eu vi esse cara crescer de um jovem russo que não falava inglês para um astro global.

Ele veio com um sonho, sem muito dinheiro. Nosso colega de equipe da American Kickboxing Academy, Shawn Bunch, o pegou no aeroporto e o levou a um McDonald's porque ele estava com fome. Depois, ele foi para a academia.

Khabib estava invicto na época (18-0) e conversávamos pouco com ele porque ele não falava muito inglês. Dava para ver como ele estava disposto a melhorar. Você observava o garoto e então via Luke Rockhold mostrando algo a ele. E então Cain Velásquez mostrava algo para ele. E então eu mostrava algo para ele. Todos éramos atraídos por ele porque ele era diferente, como uma criança que queria aprender e faria tudo o que você mandasse. Ele nunca questionou nada.

Mesmo hoje, sendo o astro que ele é, se você for o treinador, ele não questionará nada que você disser. Ele não questionará a maneira como você lhe diz para fazer isso. Ele é uma esponja em termos de conhecimento. Eu só me lembro dele sempre estar lá, tentando aprender e todos sendo atraídos por ele por conta da personalidade e pelo fato de que ele queria aprender sempre mais.

Uma coisa que eu sempre gostei era que, originalmente, o apelido dele era "The Eagle of Dagestan” (Águia do Daguestão), não era apenas "The Eagle", e lutou no UFC, e de alguma forma copiou o áudio de Bruce Buffer apresentando ele, e ele colocava isso para tocar o tempo todo. Se você fosse ao vestiário, escutaria "Eagle of Dagestan, Nurmagomedov”, e essa foi uma das primeiras aulas de inglês que ele teve, aprender a reproduzir a fala do Bruce Buffer no octógono.

“Brother, eu vou ser campeão do mundo”

Há muitos anos, ele me disse: "Brother, eu vou ser campeão mundial e vou lutar por US $ 10 milhões em cada luta”. Eu prometo. Isso foi há anos, e todos nós dizemos: "Sem chance", porque ninguém estava ganhando US $ 10 milhões na época. E tenho certeza que agora Khabib está lutando como o campeão mundial e por US $ 10 milhões por luta.

Ele com certeza não precisa do dinheiro, mas ele me disse isso, porque ele disse que as coisas iriam mudar. Ele seria tão grande que as coisas mudariam. E agora, aconteceu. Ele fez todas as coisas que disse que faria.

Morando no Daguestão, ele não precisa de muito. Não é muito caro viver lpá. Mandamos alguns garotos para lutar wrestling lá em janeiro, e Khabib pagou pelos hotéis. Ele cuidou deles, porque eram meus garotos. Os hotéis não eram muito caros. Ele não precisa de muito, ele faz porque gosta. Acho que muitas coisas sobre seu passado são muito protegidas, e propositalmente. Ele é um cara meio misterioso, e acho que parte do que o torna intrigante é o mistério. Portanto, não vou tirar isso dele.

Se vou compartilhar alguma coisa, penso em seu pai, Abdulmanap, e na intensidade com que ele vivia. Eu só podia imaginar o pequeno Khabib crescendo naquela casa. Quando eu era campeão dos meio-pesados, um dia eu estava perdendo peso, o pai do Khabib pulou em cima de mim para lutar wrestling comigo e o cara estava realmente tentando vencer. Ele era um homem intenso, um homem muito experiente. Eu sei que ele criou Khabib de uma maneira muito dura.

“Eu estou tão nervoso. Nunca fiz uma entrevista em inglês antes”

Por volta de 2015, 2016, Khabib foi na Fox para fazer uma entrevista. E eu estava fazendo o "UFC Tonight" e pensei, “Você consegue. Apenas tente”. Ele disse, "Estou tão nervoso, nunca fiz uma entrevista em inglês". Achei que ele foi bem. Eu me lembro que ele falava, mas só falava m***. Era como se tudo o que ele fizesse fosse tirar sarro, porque nós zombávamos dele o tempo todo. Nós zombamos dele por causa de seu bico de viúva, costumávamos chamá-lo de Eddie Munster. E ele odiava. E ele aprendeu a zombar de volta. E agora, tudo o que ele faz é falar m*** o tempo todo.

Houve momentos em que o Khabib não tinha parceiros de treino, e eu fui lá treinar com ele. Lá estou eu, pegando leve. Mas a verdade é que você não consegue pegar tão leve com o Khabib quanto gostaria. Ele não é um peso leve normal. Ele é grande e forte. Ele tem um ótimo wrestling, então você tem que trabalhar mais do que normalmente deveria, mas é isso que o torna especial. Mesmo quando eu era campeão dos pesados, nós lutávamos wrestling nos treinos e ele não tinha medo de mim. Eu tenho que me esforçar mais do que faria normalmente porque ele é como o pai, ele está tentando vencer a todo instante.

Ele tem um grappling tão bom... é maluco. Ele tem o melhor grappling que eu já vi. Ele está ficando melhor no controle, o que é um absurdo, porque acho que nunca vi um cara melhor no controle de topo em toda a minha vida. Ele está melhor em buscar finalizações a partir do topo, porque por um tempo, ele só estava trabalhando o ground and pound. Ele não estava conseguindo tantas finalizações quanto queria. Mas agora ele está. Todo aquele controle que Khabib faz com as pernas agora, não era assim antes. Ele era um cara do wrestling, como eu, e estávamos tentando controlar tudo com nossos braços. Ao longo dos anos, ele desenvolveu a habilidade de controlar com as pernas, e isso mudou completamente o jogo.

Dando um knock down em Conor McGregor e perseguindo Georges St-Pierre

Khabib se orgulha muito do fato de ter dado um knock down em Conor McGregor. Era para ser o wrestler contra o boxeador, e o fato de ele ter conseguido o único knock down da luta é muito importante para ele.

Ele realmente não fala o nome do Conor. Acho que eu nunca o ouvi dizer o nome do Conor. É sempre "that guy" (aquele cara), e isso diz o que ele sente por aquele cara. Eu sempre tento dar um jeito de ele dizer o nome, mas nunca consigo.

Acho que ele não vai ficar aqui por muito mais tempo. Obviamente, ele não precisa lutar. Tenho certeza que ele tem dinheiro suficiente, morando no Daguestão, para o resto de sua vida. Acho que ele lutará por um ou dois anos, no máximo. E então vai seguir em frente, passar um tempo com sua família. Sei que ele não gosta quando vem ao training camp porque sente falta dos filhos e da esposa.

Acho que parte do fato de o Khabib se aposentar mais cedo do que mais tarde é parte do motivo pelo qual todos o amamos tanto. É que ele entende que, enquanto for campeão, seu companheiro de equipe, Islam Makhachev, não pode ser. E ele sente que o Islam é o campeão se ele não estiver lutando. Mesmo que seja por isso, para dar essa chance ao Islam, não vai demorar muito.

E vai ser uma m***. Vai ser um dia terrível para todos nós da AKA quando Khabib for embora, porque ele traz uma vibração diferente para a academia, uma sensação diferente. E ele sempre fez isso. Não apenas agora que é o campeão. Quando ele era um garoto que não sabia de nada, todo mundo já gostava dele porque ele trazia algo diferente para a nossa academia. Ele era como nosso irmão mais novo russo que tinha muito potencial. Agora ele continua sendo nosso irmão mais novo russo, mas se tornou um astro no mundo inteiro.

Quando ele se aposentar, acho que será isso. Acho que você o verá nas redes sociais ocasionalmente. Mas acho que ele vai embora. Não sei se ele é um daqueles caras que gosta da fama. Alguns caras gostam mesmo, talvez ele passe a gostar. Acho que ele estará por perto com seus companheiros. Mas eu não sei se ele vai ser um cara que você vai ver com frequência.

Ele adora competir. Ele adora a possibilidade de fazer algo especial, deixar as pessoas falando sobre ele. Acho que a semana da luta, para ele, significa chegar lá e poder fazer alguma coisa. Não sei se ele gosta de todas as entrevistas e tudo mais, mas ele se tornou muito bom nisso.

Entrei no vestiário antes da luta contra o Conor e não pude acreditar em como o lugar estava silencioso. A sala não estava cheia de energia. Não foi como se eu entrasse em uma sala cheia de pessoas nervosas porque um cara estava indo para o octógono para perder. Estava tudo silencioso. Entramos lá, eu e meu filho, e ele começou a lutar wrestling com meu filho, antes da luta contra o Conor. Acho que ele vive para esses momentos.

Ele vai se aposentar após o GSP. Se o Khabib alguma vez estiver marcado para lutar contra o GSP, saiba que provavelmente será a última vez que você o verá em ação. Porque eu sei o quanto ele o respeita. Ele respeita o Georges e quer lutar contra o Georges pelos motivos certos.