<
>

Ex-Flamengo lembra quando Lewandowski não tinha espaço e foi parar na 3ª divisão

play
Polonês voador! Lewandowski pula muito e cabeceia bola suspensa no ar em treino do Bayern (0:11)

Equipe de Munique se prepara para a semifinal da Champions League, contra o Lyon - via @fcbayern (0:11)

Eleito melhor jogador da Europa na última temporada, Robert Lewandowski marcou 55 gols em 47 partidas – média de 1,17 gol por jogo - e venceu todos os títulos possíveis em 2020.

O polonês é uma das principais armas do Bayern de Munique para conquistar pela sétima vez a Champions League. A equipe estreia na competição contra o Atlético de Madrid, nesta quarta-feira.

O enorme sucesso do centroavante é uma surpresa se levarmos em consideração o seu começo de carreira. Revelado na base do tradicional Legia Varsóvia, Lewandowski apenas treinava com o time principal, que tinha como um dos jogadores o ex-meia e lateral-esquerdo Roger Guerreiro.

“Ele era do time B, mas não teve oportunidades no profissional e foi emprestado duas vezes. Foi uma progressão porque ele trabalhou bastante. Já tinha muita qualidade, mas um jogador de 20 anos é diferente porque está começando uma carreira vindo da base”, explicou o brasileiro ao ESPN.com.br.

Em 2006, Lewa jogou a terceira divisão polonesa pelo Znicz Pruszkow - sendo artilheiro da competição - e conseguiu o acesso. Na temporada seguinte, tornou-se o goleador da segunda divisão e foi comprado pelo Lech Poznán, da elite polonesa.

Apenas duas temporadas depois de chegar ao Poznán, ele foi artilheiro da Liga Polonesa.

“Já dava para ver que ele era diferente e tinha características que eram só dele, principalmente na finalização. Tinha muita qualidade na frente do gol. Alguns jogadores precisam de várias chances para marcar, mas o Lewa precisa de no máximo duas”, explicou Roger.

Contratado pelo Borussia Dortmund, o atacante começou na reserva de Lucas Barrios, mas depois que assumiu a posição de titular na segunda temporada passou a enfileirar gols.

play
0:11

Polonês voador! Lewandowski pula muito e cabeceia bola suspensa no ar em treino do Bayern

Equipe de Munique se prepara para a semifinal da Champions League, contra o Lyon - via @fcbayern

Colegas de seleção

Roger reencontrou Lewandowski anos depois na seleção polonesa.

“O Lewa era um cara mais quieto, na dele. Era bem simpático e puxava conversava comigo em inglês. Ele era muito tranquilo”, disse.

Autor do primeiro gol da história da Polônia na Euro, em 2008, o ex-jogador de Flamengo e Corinthians também ficou marcado na trajetória do astro do Bayern de Munique.

“O primeiro gol dele na seleção foi com uma jogada minha e o segundo foi com uma assistência minha. É gratificante poder participar da história de um ídolo mundial”.

Depois de jogar com o centroavante por dois anos na seleção polonesa, Roger voltou ao Brasil, onde encerrou a carreira em 2017.

Lewandowski foi para o Bayern de Munique, em 2014. Aos 32 anos, o centroavante tem oito Bundesligas, quatro Copas da Alemanha, uma Champions League e ajudou a Polônia a se classificar para a Copa do Mundo de 2018.

“Eu não imaginava que ele ficaria tão grande. A gente sempre trabalha para ter uma carreira de sucesso, mas acho que nem ele imaginava. Com o tempo, ele foi criando casca e alçando voos maiores”, finalizou Roger.