<
>

Ex-São Paulo lembra quando viu Cristiano Ronaldo destruir Manchester United e ser contratado 'no vestiário'

play
Cristiano Ronaldo se torna professor por um dia e dá aula a filhos de como lavar as mãos com álcool gel (0:25)

Jogador de Juventus postou esse vídeo fofo nas suas redes sociais - Instagram: @cristiano (0:25)

Ex-zagueiro de clubes como São Paulo e Athletico-PR, Nem nunca se esqueceu do dia que viu um quase desconhecido garoto de 18 anos chamado Cristiano Ronaldo deixar o poderoso Manchester United de joelhos.

O garoto, então apenas um magrelo camisa 28 do Sporting Lisboa, disputouum amistoso contra os "Diabos Vermelhos", em 6 de agosto de 2003, na reinauguração do estádio José Alvalade, na capital portuguesa.

Na ocasião, o portugu"es não marcou nenhum gol, mas deixou o técnico do United, Sir Alex Ferguson, boquiaberto com seus dribles, arrancadas e chutes potentes.

O "Puto Maravilha", como era apelidado, não tomou conhecimento dos campeões ingleses, que vinham de vitórias sobre Barcelona e Juventus em amistoso, e criou diversos lances de perigo naquele dia - as mais perigosas foram duas bombas de perna direita, defendidas com muito esforço pelo goleiro francês Barthez.

Os alviverdes venceram por 3 a 1, gols de João Pinto (2) e Luís Filipe - Hugo, contra, fez o do United. Naquele dia, Nem sabia que havia visto o nascimento de um craque.

"Eu saí do Atlético-MG e fui para Portugal assinar contrato com o Braga, mas o presidente estava em Lisboa. Ele estava com o Jorge Mendes [empresário de CR7] e eles me convidaram para ver o jogo entre Sporting e United. Hoje eu te digo: graças a Deus eu tive a oportunidade de ver aquele moleque jogando. Naquele dia, eu já tinha certeza que ele seria um dos grandes", conta o ex-defensor, ao ESPN.com.br.

Nem havia acabado de se tornar jogador do Braga, clube que defendeu com destaque por quatro anos, tendo cogitada inclusive a naturalização para defender a seleção portuguesa pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

Segundo o brasileiro, Cristiano Ronaldo, que havia sido sondado pelo Arsenal anteriormente, saiu do José Alvalade naquele dia praticamente de contrato assinado com o Manchester United. A assinatura de fato acabou acontecendo alguns dias depois, na Inglaterra.

"Ele arrebentou os caras naquele dia, jogou muito. Tanto é que, quando desceu para os vestiários, já era jogador do Manchester (risos). O Ferguson ficou maluco quando viu o menino. Os caras do Sporting colocaram o Cristiano para jogar porque tinham certeza que ele iria arrebentar, e não deu outra", recorda - a atuação de CR7 fez até o famoso Roy Keane tirar sarro do lateral O'Shea, dizendo que o colega de equipe pediu para ser atendido pelos médicos, pois havia ficado tonto de tanto correr atrás do garoto luso.

O amor do United por Cristiano foi mesmo à primeira vista. Uma semana depois daquele amistoso, lá estava o gajo sendo apresentado em Old Trafford, ao lado do brasileiro Kleberson (então pentacampeão do mundo com a seleção brasileira).

O atacante virou ídolo na Inglaterra, e, muitos gols e títulos depois, deixou os Red Devils para conquistar mais taças no Real Madrid. Hoje, ele defende a Juventus.

play
0:41

Cristiano Ronaldo 'vira' chocolate em Portugal

A homenagem foi feita pelo chocolateiro Jorge Cardoso; a estátua tem 1,87m e pesa 120kg

Reencontro na Copa

Nem é um dos maiores ídolos do Braga. Quando o brasileiro chegou à equipe alvirrubra, em 2003, o time era apenas um figurante em Portugal, sempre brigando contra o rebaixamento e sem campanhas de destaque. Com muita raça e cartões amarelos, o capitão fez o clube mudar de patamar e passar a ser respeitado.

"No meu primeiro ano, cheguei e o time estava para cair, completamente desacreditado. Eu cheguei e falei pra imprensa que ia fazer aquele time virar campeão. Falavam que eu era maluco, que só falava besteira, mas mostrei para eles que estava certo", recorda o ex-são-paulino e atleticano.

"No meu primeiro ano, classificamos o Braga pela primeira vez para a Copa da Uefa. Depois, a equipe foi crescendo ano a ano e passou a ser respeitada por todos. No meu último ano, classificamos para a Champions, e eu completei meu ciclo. Tenho muito respeito lá, e o presidente é meu amigo até hoje, mandou até passagem e ingresso para eu ver a final da Liga Europa em 2011", relata.

Não à toa, Nem tornou-se um nome respeitado no futebol português, aterrorizando atacantes com sua marcação cerrada, que muitas vezes fazia sair "faíscas" em duelos com centroavantes como Liedson, então no Sporting.

A prova disso foi que, no dia em que o ex-defensor voltou a encontrar Cristiano Ronaldo, 11 anos depois de vê-lo em ação pelo Sporting contra o Manchester United, quem acabou tietado foi o próprio Nem, e não CR7.

"Levei meu filho, um amigo e o filho dele para conhecerem o Cristiano em Campinas, durante a Copa do Mundo, pois sou muito amigo do Jorge Mendes. Quando chegamos lá, perguntei se ele podia tirar uma foto com meu filho, e ele respondeu: 'Você não é o Nem, que jogava no Braga?'", relembra.

"No fim, nós sentamos e conversamos um bom tempo, tiramos várias fotos, contamos piadas, foi muito bacana. Eu disse a ele que, no dia em que ele jogou contra o United, eu estava lá e tinha visto a história ser feita", conta, antes de finalizar, aos risos.

"Ainda bem que nunca joguei contra ele, porque marcar o homem é complicado... E se eu tivesse marcado o Cristiano nos meus tempos de Braga, pode ter certeza que a gente não faria amizade..."



*Reportagem pubicada originalmente no dia 25/05/2016.