<
>

Ex-São Paulo, Tormena conta como ligação de Abel Ferreira o fez virar herói do Braga e carrasco de Jorge Jesus

play
Ex-São Paulo revela felicidade ao virar 'carrasco' de Jorge Jesus em Portugal (1:02)

Vitor Tormena, zagueiro do Braga-POR, conversou com o ESPN.com.br (1:02)

Formado na base do São Paulo, Vitor Tormena foi o grande herói da classificação do Braga para a final da Taça da Liga de Portugal. O zagueiro fez o gol aos 13 minutos do segundo tempo que decretou a vitória por 2 a 1 sobre o Benfica, treinado por Jorge Jesus.

“Toda vez que vamos para a área esperamos ajudar a equipe. Fiquei bem posicionado e veio um cruzamento do Horta, que eu soube aproveitar muito bem. Pude extravasar na comemoração. O melhor de tudo foi conquistar a vaga. Estávamos trabalhando muito para isso. Sabíamos que era difícil bater a forte equipe do Benfica”, disse ao ESPN.com.br.

Com o resultado, o time comandado por Carlos Carvalhal fará a decisão contra o Sporting, neste sábado.

“A gente sabe que o Sporting é muito forte. Vamos ter que dar o melhor para levarmos esse título, mas vamos brigar até o final. Sabemos os pontos fortes e fracos deles. Estamos trabalhando forte para sermos campeões”, disse.

Natural de Marília, o zagueiro começou em uma escolinha antes de ser aprovado em um teste no São Paulo, aos 14 anos. Ele fez parte de uma geração muito vitoriosa na base tricolor ao lado de nomes como Luiz Araújo, Militão e David Neres.

Em 2017, ele esteve perto de defender pelo time profissional, mas não chegou a fazer um jogo oficial.

"No meu último ano de sub-20, o [técnico] Rogério Ceni me ligou dizendo que gostou do meu futebol e falou sobre eu subir aos profissionais para jogar a Florida Cup. Fiquei animado, mas o Breno voltou, e o Rogério ligou me explicando que optou por ele", explicou.

"Fui emprestado ao Novorizontino para jogar o Paulista. Fiz alguns jogos e quando voltei ao São Paulo estava um pouco atrás. Fiquei treinando separado do resto do grupo", contou.

Quando estava sem espaço no time tricolor, ele foi emprestado ao Gil Vicente, que disputava a segunda divisão portuguesa.

"Joguei muito bem na Segunda Liga, fui comprado pelo Gil Vicente e emprestado ao Portimonense, que joga a primeira divisão. Fiz um bom campeonato mesmo jogando como lateral. Isso me ajudou". afirmou.

Em 2019, ele recebeu um telefonema de Abel Ferreira, atualmente treinador do Palmeiras, o convidando para jogar no Braga.

"Eu tive algumas propostas, mas o Abel foi sempre muito verdadeiro desde o primeiro contato. Ele falou sobre a vontade de trabalhar comigo. Disse que o grupo era muito bom e que iria não somente pensar em ganhar títulos, mas que poderia amadurecer e aprender como jogador. Fiquei muito animado porque acompanhava o trabalho dele no Braga. Não pensei duas vezes antes de vir para cá".

Cerca de três dias depois que o defensor chegou ao time português, porém, Abel Braga foi contratado pelo PAOK, da Grécia.

play
0:47

Ex-São Paulo foi parar no Braga a pedido de Abel Ferreira, mas não trabalhou com o treinador

Vitor Tormena, zagueiro do Braga-POR, conversou com o ESPN.com.br

"Não cheguei a trabalhar com ele. Pelo que o pessoal fala aqui ele é um treinador excelente. Não é à toa que está fazendo esse trabalho no Palmeiras. Infelizmente não chegamos a ter muito contato, mas valeu a pena".

Depois de um primeiro ano com apenas nove jogos, Tormena vem ganhando cada vez mais espaço com o técnico Carlos Carvalhal. São 15 partidas e três gols marcados.

"Na temporada passada fiz menos jogos e tive algumas lesões que me atrapalharam. Depois, veio o coronavírus e não consegui jogar muito. Mas nessa temporada voltei bem e consegui ajudar a equipe. O Braga tem feito uma temporada muito boa e estamos mostrando o nosso trabalho em todos os campeonatos. Carlos Carvalhal é excepcional não só como treinador, mas como pessoa também", afirmou.

Prestes a completar a quarta temporada em Portugal, o brasileiro não descarta se naturalizar português e defender a mesma seleção de Cristiano Ronaldo.

"Eu gosto muito do país porque me acolheu muito bem e me deu oportunidades na carreira. Se tiver a chance de me naturalizar, com certeza isso vai acontecer e defender a seleção portuguesa, melhor ainda. A gente trabalha com um passo de cada vez, mas não descarto isso".