<
>

'Momentos únicos de um ano único': como foi ver de perto Luis Suárez por um ano em 2023

Prazer, Luisito!

Tá, eu já te conhecia! Afinal, quem acompanha o futebol que não te conhecia? Já tinha visto desfilar pelos gramados na Holanda, Inglaterra, Espanha. Quando chegou por aqui, já era Luís Suárez, o maior artilheiro da seleção uruguaia, o 5º maior artilheiro em atividade no mundo!

Sim. Eu já te conhecia! Mas uma coisa era te ver ou admirar de longe. Outra foi te acompanhar todos os dias, nos treinos, nos jogos.

Aliás, o meu dia a dia mudou. Desde a chegada na apresentação, eu era uma das 40 mil pessoas presentes na Arena do Grêmio. Com um olhar diferente, é verdade, buscando informações, agregando no trabalho...

E que trabalho tu me deste! A cobertura jornalística é diferente quando se tem um astro mundial. A cada treino eu tinha que “procurar”, mostrar o Suárez no gramado. A cada jogo eu tinha que falar de Suárez. Os torcedores do Grêmio, o Brasil, só queriam saber de Suárez.

Pude acompanhar de perto a temporada que mais entraste em campo: 54 partidas, 19 delas em Porto Alegre, onde acompanhei todas. Mais um ponto espetacular.

Já tinha visto outras estrelas mundiais jogar, assim a olho nu, talvez uma, duas vezes, quando muito. Mas 19 vezes foi mais do eu esperava. Vi golaços, passes, assistências, e principalmente, um jogador que aos 36 anos se negou a se entregar para as dores, e se entregou para o time que defendia.

Tive o privilégio de participar de uma das poucas entrevistas que destes por aqui. Ao lado de André Plihal e Lugano, no programa Bola da Vez, estava eu sentado ao teu lado, debatendo futebol, carreira, vida. Ah, como repercutiu, e como isso engrandece a carreira de um repórter...

Foram momentos únicos, de um único ano. Uma temporada que vai ficar marcada no futebol brasileiro pela passagem de Suárez.

Por tudo isso: prazer, ou melhor, foi um prazer, Luisito!