<
>

Estádios da NFL brigam para sediar final da Copa do Mundo de 2026; saiba qual é o favorito

Abertura de jogo na Copa do Mundo do Qatar

A menos de três anos da Copa do Mundo de 2026, a primeira que reunirá 48 seleções e será disputada em três países diferentes (Estados Unidos, México e Canadá), a Fifa ainda não informou onde será realizada a final. Mas no último fim de semana houve um indício de favoritismo: a visita do presidente da entidade, Gianni Infantino, ao AT&T Stadium, do Dallas Cowboys, para o jogo da NFL contra o New York Jets.

O estádio localizado em Arlington, no Texas, faz parte de uma lista de três palcos de futebol americano considerados os principais candidatos ao jogo que coroa o campeão mundial, ao lado do SoFi Stadium, em Inglewood, próxima a Los Angeles e casa das franquias Chargers e Rams, e o MetLife Stadium, em Nova Jersey, local em que Giants e Jets mandam suas partidas.

Inaugurado em 2009, com custos que superaram a casa de US$ 1 bilhão, o AT&T Stadium recebeu em junho um público de 82.026 para o clássico entre Barcelona e Real Madrid, o maior dos jogos entre eles nos Estados Unidos. O sucesso foi considerado um recado importante à Fifa.

A região metropolitana de Dallas pode não concorrer com o potencial turístico e o simbolismo de Nova York, mas há uma vantagem significativa do estádio: tem teto retrátil e é climatizado, ao contrário do MetLife, que ficaria sujeito às ondas de calor e tempestades de verão, que frequentemente são vistas durante o US Open de tênis.

Por estar no centro do país, Arlington não sofre com a desvantagem da Califórnia em relação ao fuso horário, ficando sete horas atrás da Europa central, contra nove de Los Angeles. A diferença fez com que a final da Copa de 1994, vencida pelo Brasil, fosse disputada sob um calor de meio-dia no Rose Bowl. Uma final no Texas às 15h seria vista às 21h na Inglaterra e às 22h na Espanha, por exemplo.

O principal problema para o SoFi Stadium, porém, não está no relógio, mas nas dimensões. As áreas ao redor do campo são consideradas muito estreitas para atender às necessidades de uma final de Copa do Mundo. Por isso, pessoas com conhecimento da disputa consideram mínimas as chances de escolha do estádio como palco da final.

Jogo de abertura no México?

De acordo com informações da ESPN México, o estádio californiano seria compensado com o primeiro jogo da seleção dos Estados Unidos. O Azteca, na Cidade do México, que sediou as decisões de 1970 e 1986, ficaria com o jogo de abertura.

A visita de Infantino ao AT&T Stadium (que não poderia manter o nome durante o Mundial pelas regras da Fifa sobre patrocínios) foi um convite de Jerry Jones, dono dos Cowboys. Ele está disposto a fazer investimentos na casa dos US$ 300 milhões no estádio, de forma a acompanhar as evoluções tecnológicas e manter o o mesmo na disputa por outros grandes eventos.

E não apenas a final - que será no dia 19 de julho, um domingo, como já é tradição - é motivo de expectativa. A mudança de regulamento aprovada este ano, aumentando a Copa para 104 partidas, sendo 72 apenas na fase de grupos, obriga uma redistribuição do planejamento inicial (antes, seriam 80 jogos, sendo 60 nos EUA, 10 no Canadá e 10 no México).

Matéria publicada semana passada no The New York Times afirma que algumas cidades-sede estão impacientes com a demora na definição, que impacta no planejamento. Embora a Fifa prometa uma definição o mais breve possível, ainda não foi dada uma data limite.