<
>

Fatal Model Vitória? Presidente explica proposta milionária de site de acompanhantes e revela plano para dinheiro

Vitória comemora o título da Série B de 2023 Victor Manuel/Twitter Oficial/Vitoria E.C.

Fábio Mota, presidente do Vitória, concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (1° de dezembro) para explicar as duas propostas recebidas pelo clube pela Fatal Model, site de acompanhantes.

De acordo com o mandatário, o clube baiano recebeu duas ofertas de patrocínio e terá que escolher entre uma ou outra. É válido ressaltar que as negociações só avançarão caso os sócios-torcedores do clube votarem a favor do avanço entre as conversas entre as partes.

"Nós recebemos uma proposta pelo naming rights do estádio, pelo nome do estádio, por R$ 100 milhões. E recebemos uma proposta para implantar o nome da Fatal (Model) no Vitória por R$ 200 milhões. Isso não quer dizer que a gente vai mudar o nome, vendendo o Vitória”, iniciou o mandatário.

“Até porque, quem sou eu? Para que isso acontecesse, se fosse o caso, estamos fazendo uma enquete. Para que acontecesse, teria que ir para o Conselho, ir para uma assembleia geral, não é um processo que você dá uma canetada, uma instituição de mais de 120 anos...”, explicou o presidente.

Caso o clube opte pela venda do naming rights do estádio, a verba de R$ 100 milhões será utilizada para a obra de cobertura do local.

“Agora, recebemos a proposta e estamos simplesmente fazendo uma enquete para ouvir o que é que o torcedor acha isso. Primeiro, de ter a Arena Fatal Model Barradão, naming rights, por R$ 100 milhões; e ter Fatal Model Esporte Clube Vitória por R$ 200 milhões”.

“Essa é a proposta, temos que ouvir. Não quer dizer que o resultado da enquete é a decisão que a direção vai tomar. Mas queremos ouvir, como sempre fizemos"

"A mudança no nome do clube é um processo diferente. É apenas uma enquete, nada disso. Recebemos uma proposta de R$ 100 milhões, que não é um número pequeno, para ter o naming rights do estádio, e precisávamos saber o que o torcedor acha. Esse recurso seria convertido na cobertura do estádio”, explicou.

“Depois, recebemos uma proposta, que não é cumulativa, se o torcedor aceitar o naming rights, o nome do clube deixa de existir, é uma ou outra. Eles não estão propondo R$ 300 milhões. É (uma proposta de) R$ 100 milhões e (outra) R$ 200 milhões."