<
>

Conheça a seleção de Comores, zebra da CAN que eliminou Gana e tenta fazer história diante de Camarões

play
Simplício abre o jogo sobre confusão com Diego em São Paulo x Santos: 'Nem sei o que me deu na hora' (2:04)

Fábio Simplício é o convidado do Resenha ESPN desta semana (2:04)

Seleção comorense deixou Gana para trás em sua primeira participação na Copa Africana de Nações e agora terá Camarões, seleção da casa, pela frente


Em sua primeira competição oficial a nível principal, Comores chamou a atenção do mundo do futebol como a grande zebra da primeira fase da Copa Africana de Nações.

Disputando o grupo C, que prometia ser o ‘grupo da morte’ por ter Marrocos, Gabão e Gana, Comores surpreendeu, superou a seleção ganesa na última rodada por 3 a 2 e conquistou a classificação para o mata-mata como uma das melhores terceiras colocadas ao somar 3 pontos. Marrocos (7 pontos) e Gabão (5) avançaram de forma invicta.

A partida contra Gana foi uma verdadeira batalha pela classificação. Comores contou com a expulsão de André Ayew, camisa 10 da equipe adversária, para vencer por 3 a 2. O herói da classificação foi Ahmed Mogni, que atua no Annecy, da terceira divisão francesa. Ele marcou dois gols no segundo tempo, incluindo o tento da vitória aos 40 minutos.

Além de não ter nenhum atleta de destaque no futebol internacional, ao contrário da maioria das seleções da CAN, Comores está em sua primeira competição oficial a nível principal na história, o que torna a classificação ainda mais importante para o país de cerca de 800 mil habitantes.

Comores se tornou um país independente da França em 1975 e fundou sua federação de futebol em 1979, mas a filiação à CAF e à FIFA veio apenas em 2005. Desde então, a primeira competição oficial da seleção comorense é justamente a CAN deste ano.

Para tentar chegar mais longe, Comores conta com os gols de seu principal jogador, El Fardou Ben. O atacante, que marcou o primeiro gol diante da histórica vitória sobre Gana, é o maior artilheiro da história do país com 15 gols. Ele é um ídolo recente do Estrela Vermelha, da Sérvia, onde tem 73 gols e 37 assistências em 160 jogos.

Além dele, outra figura central na seleção comorense é o meia Youssouf M'Changama, camisa 10 da equipe na CAN. Desde que estreou em 2010, aos 20 anos, ele disputou 43 jogos pelo país e marcou 9 gols. Nenhum outro jogador cruzou a marca de 40 partidas até hoje.

Como veio a vaga inédita?

Para garantir a primeira classificação da história para a CAN, a seleção comorense ficou na vice-liderança do grupo G das eliminatórias, disputadas entre 2019 e 2021. O Egito foi o líder da chave de forma invicta, enquanto Comores superou Quênia e Togo. A campanha foi de duas vitórias, três empates e apenas uma derrota.

Campanha na CAN

Na Copa Africana de Nações, a seleção comorense iniciou sua participação com derrotas para Gabão (1 a 0) e Marrocos (2 a 0) antes de conquistar a classificação diante de Gana, no que acabou sendo um verdadeiro mata-mata por uma vaga na fase final.

Desafio no mata-mata

Tentando prolongar sua primeira participação na CAN, Comores terá pela frente um desafio e tanto nas oitavas de final. Na próxima segunda-feira (24), o adversário será o anfitrião do torneio, a badalada seleção de Camarões, que está invicta no torneio e conta com nomes como Eric Choupo-Moting, do Bayern de Munique, e Vincent Aboubakar, ex-Porto.