<
>

Ex-São Paulo lembra 'treta' com Diego e depois como foi reencontro na Itália: 'No primeiro lance, eu e ele...'

play
Simplício abre o jogo sobre confusão com Diego em São Paulo x Santos: 'Nem sei o que me deu na hora' (2:04)

Fábio Simplício é o convidado do Resenha ESPN desta semana (2:04)

Fábio Simplício é o convidado do Resenha ESPN desta sexta-feira (21), 22h, pela ESPN no Star+


Fábio Simplício, volante de passagem marcante pelo São Paulo, é o convidado do Resenha ESPN desta sexta-feira (21), às 22h, pela ESPN no Star+. Entre outros episódios da carreira, o ex-jogador relembrou a famosa confusão que protagonizou com Diego, hoje no Flamengo.

Aconteceu no Campeonato Brasileiro de 2002, em vitória do São Paulo sobre o Santos, por 3 a 2, no Morumbi. Diego, então com a camisa do Santos, fez o gol de empate de sua equipe e foi comemorar bem em cima do escudo adversário no gramado, tirando Simplício do sério.

" Não deu para entender o que ele fez. A torcida do Santos estava do outro lado. Ali, aquele escudo, era muito protegido. Tinha um significado. Eu morei cinco anos lá dentro e a gente só podia pisar na pista; no gramado, não. Automaticamente, quando eu vi, eu saí correndo. Nem sei o que me deu na hora, bateu aquele espírito tricolor e fui chamar a atenção dele.”

O “problema” é que Simplício acabou sozinho no meio dos grandes zagueiros do Santos na época. “Ainda olhei para trás, e não tinha ninguém. Na minha frente, o André Luís e o Alex... Duas torres na minha frente, e nada do meu pessoal”, brincou o ex-são-paulino.

Naquele ano, São Paulo e Santos se reencontrariam ainda naquele Brasileirão, nas quartas de final, com o time da Vila Belmiro, que acabaria campeão, levando a melhor. Não foi, contudo, o único reencontro que Simplício e Diego tiveram depois da briga.

Em 2009, na Itália, com o volante defendendo o Palermo e o meia, a Juventus, um novo capítulo para a “rivalidade”. “No túnel, quando chegou nele, apertei a mão dele, bem forte. Falei que não tinha conseguido pegá-lo no Morumbi, mas que naquele dia não tinha como escapar. No primeiro lance, eu e ele... Dei uma chegadinha.”

Simplício levou a melhor naquela ocasião também no placar: seu Palermo venceu a Juventus por 2 a 0. “Ele é um jogador fora de série, mas falei sério! E ganhamos o jogo!”