<
>

Flamengo: Renato Gaúcho faz 1ª final no clube atrás de feito que Libertadores viu uma vez em 62 anos

Desde julho no Flamengo, Renato Gaúcho não tem permanência garantida para 2022, mas pode conquistar a Libertadores com 100% de aproveitamento caso vença o Palmeiras no sábado, em Montevidéu


Renato Gaúcho não vive a melhor fase da carreira de técnico. No Flamengo desde julho, quando assumiu o cargo que era de Rogério Ceni, o técnico levou o time a resultados expressivos, mas nem sempre com o desempenho consistente que se espera de um elenco caro como o rubro-negro.

Acontece que neste sábado (27), em Montevidéu, Renato pode dar a volta por cima e mostrar à diretoria que merece um voto de confiança para continuar em 2022. E isso passa, claro, por uma vitória sobre o Palmeiras, no Estádio Centenário, pela grande final da Conmebol Libertadores, partida que contará com transmissão do FOX Sports e pela ESPN no Star+. A sua primeira, aliás, no clube carioca.

Se conquistar o torneio sul-americano com vitória, sem depender de uma decisão por pênaltis, Renato Gaúcho garantirá o maior título continental com 100% de aproveitamento, algo que só aconteceu uma vez em 62 anos de história na Libertadores.

O único a conseguir tamanha proeza foi o argentino Osvaldo Zubeldía, tricampeão pelo Estudiantes, em 1968, 1969 e 1970.

Na campanha do segundo título, o clube de La Plata entrou já na semifinal da Libertadores, direito adquirido ao campeão na época. Venceu a Universidad Católica duas vezes e outras duas o Nacional, para confirmar a conquista sem perder nenhum ponto.

De lá para cá, muitos tentaram, mas não conseguiram o feito. Celso Roth, em 2010, foi um dos que bateu na trave, já que assumiu o Internacional na semifinal, mas acabou campeão com três vitórias e uma derrota, na semifinal, para o São Paulo.

Renato Gaúcho estreou na Libertadores pelo Flamengo na fase oitavas de final. Eliminou pelo caminho Defensa y Justicia (1 a 0 e 4 a 1), depois Olimpia (4 a 1 e 5 a 1) e por último Barcelona (duas vitórias por 2 a 0). Agora, mede forças com o Palmeiras em busca do título sem perder um ponto sequer.

O curioso é que o técnico até já foi derrotado na Libertadores de 2021, mas por outro clube: o Grêmio, que, sob seu comando, parou na última etapa eliminatória antes da fase de grupos, para o Independiente del Valle. Renato foi demitido pelo resultado negativo e, meses depois, deu início à história na Gávea.

O título coroaria uma Libertadores especial para Renato, que se isolou como técnico com maior número de vitórias no torneio. São 50, uma acima do colombiano Gabriel Ochoa Uribe, que marcou época no América de Cali.

Essa também é a terceira decisão de Libertadores da carreira de Renato Gaúcho como técnico. Ele foi o primeiro a chegar em tantas decisões com times diferentes: Fluminense em 2008, Grêmio em 2017 e agora Flamengo em 2021.