<
>

STJD devolve pontos ao Brusque na Série B após caso de racismo com Celsinho, do Londrina

Com os pontos devolvidos, o Brusque aumenta suas chances de permanência na Série B para 2022


O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devolveu, nesta quinta-feira (18), os pontos ao Brusque perdidos no caso de racismo envolvendo um dirigente do clube e o meia Celsinho, do Londrina.

Com isso, a equipe de Santa Catarina vai aos 44 pontos, sobe para a 14ª posição na tabela de classificação da Série B e fica a três pontos do Londrina, que abre a zona de rebaixamento.

O recurso do Brusque, que pedia a devolução dos pontos, foi julgado nesta quinta-feira e aprovado por maioria dos votos.

Por outro lado, a equipe catarinense terá que cumprir a perda de um mando de campo e pagar multa de R$ 60 mil. O autor das injúrias raciais, o dirigente Júlio Antônio Petermann, teve sua pena mantida integralmente, com multa de R$ 30 mil e suspensão de 1 ano.

Relembre o caso:

No dia 28 de agosto, no confronto entre Brusque e Londrina, no Estádio Augusto Bauer, válido pela rodada 21 da Série B, Celsinho afirmou que foi chamado de "macaco" por um membro da equipe a equipe do Vale do Itajaí.

Na súmula, o árbitro da partida relatou somente que o meia ouviu a frase "vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha", no final do primeiro tempo. Júlio Antônio Petermann foi identificado como autor da ofensa.

Desta forma, o Brusque e o dirigente foram enquadrados no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por ato discriminatório relacionado ao preconceito.

Na época, o Brusque soltou uma nota oficial sobre o episódio e disse que o meia do Londrina estaria sendo "oportunista". Como resposta, o clube paranaense divulgou um vídeo onde é possível ouvir Celsinho sendo chamado de "macaco".

O Brusque se desculpou posteriormente e adotou algumas medidas, entre elas afastamento de Petermann.

No dia 24 de setembro, em audiência virtual, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou o caso de injúria racial sofrido pelo meia Celsinho, do Lodrina, e puniu o Brusque com a perda de três pontos na Série B e multa de R$ 60 mil. O clube catarinense e um conselheiro do mesmo responderam por um "ato discriminatório" contra o jogador e foram condenados.