<
>

Bola de Ouro? Jorginho diz por que pessoas não veem seu futebol: 'Não sou o Kanté que corre 90 minutos'

Volante do Chelsea é um dos finalistas à Bola de Ouro em 2021 e concorre com outros grandes nomes do futebol mundial


Campeão da Eurocopa com a Itália e da Champions League com o Chelsea nos últimos meses, o volante Jorginho é um dos jogadores que está na briga pela Bola de Ouro em 2021. E apesar do grande momento que vive na carreira, o ítalo-brasileiro acaba tendo o seu nome ofuscado por outros atletas, como os atacantes Kylian Mbappé e Lionel Messi, ambos do PSG, e até mesmo N'Golo Kanté, seu companheiro de posição nos Blues.

Você acompanha a todos os jogos do Chelsea na Premier League com transmissão AO VIVO pela ESPN no Star+.

Em entrevista ao jornal francês "L'Équipe", Jorginho falou sobre a possibilidade de conquistar o principal prêmio individual do futebol mundial e até mesmo comentou sobre o seu estilo de jogo. E segundo o próprio, ele sabe por que acaba não chamando tanto atenção quanto outros jogadores, como o próprio Kanté e Kovacic. E o motivo é simples: ter uma função muito específica dentro de campo.

“É verdade que as pessoas não me veem tanto. Eu fico à sombra. Não sou como N'Golo [Kanté], que corre noventa minutos e consegue roubar 300 bolas por jogo. Não sou como o [Mateo] Kovacic que consegue driblar dois jogadores antes de se lançar para a frente. Eu sou mais eu, que vou fluidificar o todo, botar óleo no motor. Consegui conquistar a confiança dos meus companheiros de equipe, então quando passo informações, eles me ouvem e é gratificante", começou por dizer.

"O meu estilo se baseia no jogo, saber onde interceptar as bolas, em que zona do campo insistir em encontrar a brecha na defesa adversária, criando uma abertura para o meu companheiro de equipe através do movimento ... Tudo isso é sutil e entendo perfeitamente que sou menos visto do que os outros", prosseguiu.

Em relação à possível conquista da Bola de Ouro, Jorginho deixou claro que o prêmio não é nenhuma obsessão, mas que, com humildade, dando passo por passo, espera um dia, sim, ser Melhor do Mundo.

“Não é uma obsessão. Quando nos projetamos demais, evitamos aproveitar o presente. E meu presente é muito gostoso. Não quero criar expectativas muito altas para mim. Claro que faz você sonhar em ganhar a Bola de Ouro, mas tento dar um passo para trás. No vestiário, há muito espaço sobre o assunto. Continua leve, legal, a gente ri disso. Mas aprendi algo durante a minha carreira: sonhar grande ou pequeno exige o mesmo trabalho! Portanto, podemos também sonhar grande e esperar ganhar esta Bola de Ouro", finalizou.