<
>

Arsenal é o time que mais gastou na janela europeia; como estão as contratações de R$ 1 bilhão

O Arsenal entra em campo nesta segunda-feira pela Premier League. Apesar de não ter feito tanto barulho, o clube londrino foi quem mais gastou na última janela de transferências, ultrapassando a marca de R$ 1 bilhão. Na tabela de classificação, a estratégia ainda não deu resultado.


A última janela europeia de transferências de jogadores fez muito barulho. Messi no PSG, Cristiano Ronaldo no Manchester United, Grealish no Manchester City, Lukaku no Chelsea... Mas a equipe que mais gastou em todo o continente foi o Arsenal, que enfrenta o Crystal Palace pela Premier League nesta segunda-feira, às 16h (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+.

Mesmo sem chamar tanta atenção, o time londrino desembolsou quase 150 milhões de libras (pouco mais de R$ 1 bilhão) entre o final da última temporada e o começo da atual. Se nenhum nome é tão grande quanto as contratações dos rivais, ao menos houve volume.

Foram seis chegadas no Emirates Stadium: o goleiro Aaron Ramsdale (ex-Sheffield United), o zagueiro Ben White (ex-Brighton), o lateral-direito Takehiro Tomiyasu (ex-Bologna), o lateral-esquerdo Nuno Tavares (ex-Benfica), o meio-campista Sambi Lokonga (ex-Anderlecht) e o meia Martin Odegaard (ex-Real Madrid). Este último já estava no clube, mas por empréstimo, e agora foi comprado em definitivo.

  • Ben White (zagueiro): 52,65 milhões de libras (R$ 397 mi)

  • Martin Odegaard (meia): 31,50 milhões de libras (R$ 238 mi)

  • Aaron Ramsdale (goleiro): 25,20 milhões de libras (R$ 190 mi)

  • Takehiro Tomiyasu (lateral-direito): 16,74 milhões de libras (R$ 126 mi)

  • Sambi Lokonga (meio-campista) : 15,75 milhões de libras (R$ 119 mi)

  • Nuno Tavares (lateral-esquerdo): 7,2 milhões de libras (R$ 54 mi)

Dos seis reforços, quatro tem sido regularmente titulares de Mikel Arteta: Ramsdale, Tomiyasu, White e Odegaard. Lokonga pode ganhar espaço com a lesão de Xhaka, ao passo que Nuno Tavares tem sido utilizado mais saindo do banco.

Quem disputa espaço no time com os reforços são Bernd Leno (goleiro), Pablo Marí e Holding (zagueiros), Cédric Soares (lateral-direito), Kieran Tierney (lateral-esquerdo), Granit Xhaka e Thomas Partey (meio-campistas) e Emile Smith-Rowe (meia). O último é o camisa 10 e vem sendo titular ao lado de Odegaard.

Dentro de campo, porém, os resultados ainda são inconsistentes. Em sete partidas de Premier League, foram 3 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, o que deixa os Gunners atualmente na 11ª posição.

O elenco e os caros reforços precisam mostrar serviço para o Arsenal voltar a ter uma boa temporada – neste ano, o clube sequer está em competições europeias.

O adversário desta segunda-feira, o Crystal Palace, vem de três jogos sem vitória e é o 14º colocado na tabela.