<
>

Eriksen passará por cirurgia e usará desfibrilador cardíaco após mal súbito, mas pode ter que deixar a Inter de Milão

play
Conheça Simon Kjaer, 'capitão de ferro' da Dinamarca e amigo de longa data de Christian Eriksen (2:34)

O zagueiro dinamarquês ganhou o mundo ao atuar rapidamente no atendimento em campo a Eriksen, que está se recuperando mal-súbito (2:34)

Christian Eriksen chocou o mundo no último sábado (12) ao sofrer um mal súbito durante partida da Dinamarca contra a Finlândia, na estreia das equipes pela Eurocopa.

Internado desde o fim de semana em Copenhague, o meia passará por cirurgia para corrigir o problema cardíaco que sofreu.

De acordo com a federação dinamarquesa, a introdução de um desfibrilador será feita com o objetivo de corrigir o desnível no ritmo dos batimentos cardíacos do coração do jogador da Inter de Milão.

Isso fará com que Eriksen não sofra outro mal súbito.

“Após Christian ter sido submetido a diferentes exames no coração, foi decidido que ele deveria ter um ICD (sigla em inglês para cardioversor desfibrilador implantável, CDI). Esse dispositivo é necessário depois de um ataque cardíaco devido a distúrbios de ritmo cardíaco”, informou Morten Boesen, médico da seleção dinamarquesa.

“Christian aceitou a solução, e o plano foi confirmado por especialistas nacionais e internacionais que recomendam o mesmo tratamento”.

Eriksen pode se espelhar em outro jogador como exemplo: Daley Blind. O holandês passou por procedimento parecido em 2019 após ser diagnosticado com miocardite. O defensor colocou um marcapasso para evitar a arritmia e assim continuar jogando futebol.

A cirurgia, no entanto, pode encerrar a passagem de Eriksen pela Inter de Milão, uma vez que a Itália não aceita este procedimento em atletas profissionais. De acordo com o jornal Gazzetta dello Sport, as leis italianas são severas e não permitem que um jogador atue após a realização dessa cirurgia.