<
>

Valentim nega boatos, rebate dirigente do Cuiabá e abre o jogo sobre demissão: 'Tudo tem um limite'

O técnico Alberto Valentim, que foi demitido do Cuiabá após a estreia do Campeonato Brasileiro, neste último domingo (30), falou sobre sua demissão e admitiu problemas internos envolvendo o vice-presidente do clube, Cristiano Dresch.

Alberto negou qualquer motivo pessoal em sua demissão e disse que não houve qualquer conflito com jogadores no vestiário após o empate com o Juventude em 2 a 2. “Não teve discussão, os jogadores se mobilizaram, não queriam nem deixar que eu deixasse a Arena”, disse o técnico ao "SporTV".

“Desde minha chegada no Cuiabá, sempre fui muito aberto, nem sempre concordava com a direção. A gente falava por horas e horas e eu respeito muito as hierarquias, mas tudo tem um limite. Quando algumas coisas são levadas para dentro de campo, pressionando para colocar certo jogadores, a relação vai ficando desgastada. Eu soube que poderia ser demitido, segui com meus posicionamentos e depois do jogo conversei com meus jogadores”.

Com o Cuiabá, Valentim foi campeão de forma invicta do Campeonato Mato-Grossense. “Hoje eu vi um declaração do Cristiano falando que ele estava descontente, que não via um padrão no nosso time. Eu me coloco à disposição de vocês para mostrar meus treinos, porque todos eles são filmados. Eu levo ao público todo meu treinamento, o que nós fazíamos. Não é fácil ser campeão de forma invicta. Não interessa se entramos como favorito. O que importa é que nós somos campeões. É fácil para o vice-presidente chegar e falar que o time não tinha um padrão do jogo. Eu provo o contrário, as nossas variações ofensivas… Respeito a opinião dele, mas preciso me defender um pouquinho”.

O Cuiabá ainda não anunciou seu novo técnico para o restante da temporada. O próximo confronto da equipe será contra o Fluminense, no Maracanã, no próximo domingo (6).