<
>

Zagueiro do Cádiz se defende, fala em 'circo' por acusação de racismo e ouve resposta dura do Valencia

play
Após acusação de racismo com Diakhaby, Valencia faz ato contra discriminação em treino (0:25)

Jogador deixou o campo no último domingo em jogo contra o Cádiz por LaLiga (0:25)

A partida entre Cádiz e Valencia, pela 29ª rodada de LaLiga, ficou marcada por acusação de racismo. Um forte discussão entre Diakhaby e Cala interrompeu o duelo logo aos 30 minutos do primeiro tempo. Os jogadores do Valencia chegaram a se retirar de campo depois que Diakhaby acusou seu adversário de tê-lo chamado de 'negro de m***'. O jogo terminou em derrota por 2 a 1 para os visitantes.

Nesta terça-feira (6), o defensor do Valencia usou suas redes sociais para desabafar sobre o acontecido.

"Hoje me sinto bem, mas me doeu muito. É a vida, mas espero que a Liga Espanhola consiga ter provas para que tudo fique claro e possa tomar atitudes. E quero agradecer ao Valencia, aos meus companheiros, aos meus treinadores e aos torcedores pelo carinho e apoio que me deram. E quero dizer que estou bem. Obrigado", disse Diakhaby.

play
2:18

Diakhaby se pronuncia sobre caso de racismo, cobra medidas da federação e detalha o que ouviu em campo

Zagueiro do Valencia foi alvo de injúria racial na partida entre Valência e Cádiz, no último domingo (4), pelo Campeonato Espanhol

Juan Cala, zagueiro do Cádiz, por sua vez, negou as acusações e ainda afirmou que está sendo vítima de um 'linchamento público' feito pelo presidente e pelos atletas do time adversário.

"Temos recebido todo tipo de ameaça, mas entendo que isso faz parte do circo que foi montado. Quando acabou a partida, me reuni com o meu presidente e disse que queria sair. E o meu presidente, quem eu conheço há 24 anos, me recomendou ficar. No dia seguinte liguei para ele e disse novamente que queria sair e pedi que ele convocasse uma coletiva de imprensa - e ele disse que não", contou Cala, que ainda ameaçou:

''São mais de 20 câmeras, microfones, 22 jogadores, três árbitros, ninguém sabe. Ninguém diz que ouviu. Vou entrar com uma ação judicial contra todas as pessoas que jogaram com minha imagem e minha honra", disse o zagueiro.

Após as declarações de Juan Cala, o Valencia prontamente se pronunciou por meio de uma nota oficial. O clube mais uma vez demonstrou seu apoio a Diakhaby e expressou o seu desampontamento com o zagueiro do Cádiz.

"O Valencia CF lamenta profundamente as declarações feitas pelo jogador do Cádiz CF, Juan Cala, nesta terça-feira, nas quais ele negou ter insultado racialmente Mouctar Diakhaby, durante a partida da Liga Espanhola. Cala perdeu uma grande oportunidade de aceitar o erro e pedir desculpas ao jogador afetado. Em vez de fazer isso, ele atacou Diakhaby e outros membros do clube. O Valencia CF não vai parar de lutar por uma melhoria do protocolo e na batalha contra o racismo no futebol'', disse o clube em comunicado oficial.

Confira a nota oficial divulgada pelo Valencia:

''O Valencia CF lamenta profundamente as declarações do jogador de Cádiz, Juan Cala, nas quais 48 horas depois da partida, nega ter proferido um grave insulto racista ao nosso jogador de futebol, Mouctar Diakhaby, durante o jogo disputado no passado domingo no Ramón de Carranza.

Juan Cala perdeu uma grande oportunidade de aceitar esse erro e pedir desculpas à pessoa afetada. Em vez disso, ele atacou o próprio jogador e outros membros do Valencia CF.

O Valencia CF acredita totalmente no seu futebolista e reitera o seu total apoio a ele. Após as ameaças de Juan Cala em sua coletiva de imprensa na terça-feira, 6 de abril, o Clube, seu presidente Anil Murthy e seu jogador Mouctar Diakhaby mantêm intacta sua profunda convicção de lutar onde for necessário e até o fim pelo bem do futebol. O Valencia CF não deixará de lutar pelo aperfeiçoamento da regulamentação e pela luta contra o racismo no futebol e na sociedade.''