<
>

Governo de São Paulo atende recomendação do Ministério Público e paralisa o Campeonato Paulista

play
Doria cita 'excepcional diálogo' com presidente da FPF e confirma paralisação do Paulista (2:18)

Governador de São Paulo concedeu entrevista coletiva em: YouTube | Gorverno do Estado de São Paulo (2:18)

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) confirmou nesta quinta-feira (11) a paralisação do Campeonato Paulista - a informação havia sido antecipada pela manhã pelo presidente do TJD-SP, Antônio Olim, em entrevista ao SportsCenter, da ESPN Brasil.

O anúncio foi feito em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, na zona Sul da capital, e vale também para outras atividades esportivas e religiosas. Além disso, as escolas serão fechadas.

"Nossa prioridade, desde março do ano passado, é preservar as pessoas e as vidas. É reconhecer que a existência e o dever daqueles que ocupam a função pública é assumir a responsabilidade de proteger a coletividade. E é isso que estamos fazendo", disse Doria.

A suspensão da disputa contraria a Federação Paulista de Futebol (FPF) e alguns clubes e acontece por conta da entrada do estado na chamada fase emergencial, etapa mais rigorosa e que restringe mobilidade urbana e serviços essenciais em todas as 645 cidades do estado.

São Paulo enfrenta um grande aumento de casos de COVID-19 nas últimas semanas, o que deixa hospitais e outros atendimentos de saúde em estado preocupante.

O estado já superou a barreira de 2,1 milhões de casos e 61,5 mil mortes desde março do ano passado.

Ao todo, 53 cidades estão com 100% de taxa de ocupação de UTIs em seus hospitais.

A fase emergencial programada pelo governo de São Paulo será iniciada no dia 15 (próxima segunda-feira) e vai até 30 de março (uma terça-feira). No âmbito do futebol, isto significa que a partida entre Palmeiras e São Caetano, atrasada da primeira rodada e que está programada para esta quinta-feira, às 19h (de Brasília), e toda a quarta rodada, no fim de semana, do Campeonato Paulista irão acontecer. A quinta rodada começa no sábado seguinte (20) e já entra na fase de suspensão.

A FPF mostrou-se contrária à paralisação do torneio (a entidade chegou a emitir nota oficial), assim como alguns clubes, e tentou costurar um acordo entre o governo de São Paulo e o Ministério Público para manter o calendário do jeito que estava.

No entanto, a recomendação do MP foi acatada, e o torneio será suspenso por alguns dias.

“Esclareço desde já que as partidas programadas estão preservadas, serão no sábado e domingo. A interrupção será a partir do dia 15 durante 15 dias. Temos bom diálogo com a Federação Paulista de Futebol na figura do presidente Reinaldo Carneiro Bastos, sempre construtivo. Continuaremos a dialogar com a Federação, que tem meu respeito”, disse o Governador.

“Nesta fase emergencial, o prejuízo é para todos os setores. Nessa fase, todos sofrem, tem desgaste para toda a sociedade, atividade comercial, econômica. Em relação ao futebol, estamos atendendo um ofício do Ministério Público. Fugiu da nossa alçada, estamos atendendo o MP”, afirmou José Medina, coordenador do Centro de Contingência do coronavírus.

Este é o 2º ano em que Paulistão é paralisado em meio à disputa da primeira fase. Em 2020, no início da pandemia de COVID-19, o torneio ficou parado de 17 de março até 22 de julho.

Em entrevista à ESPN Brasil, Antônio Olim, mandatário do TJD-SP, revelou que a FPF cogita até realizar o campeonato fora do estado de São Paulo.