<
>

Libertadores: Abel, sobre domínio do River sobre Palmeiras: 'O Gallardo é melhor treinador do que eu'

Após a derrota por 2 a 0 para o River Plate, que valeu a suada classificação à final da Conmebol Libertadores, o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, admitiu que o adversário foi muito superior no Allianz Parque.

Em sua coletiva após a partida, ele admitiu que ainda não está no mesmo nível do argentino Marcelo Gallardo, multicampeão e há seis anos no comando dos Millonarios, e salientou que seus atletas também não têm a mesma experiência que os da equipe estrangeira.

No entanto, ele ressaltou que, por ter feito um grande jogo na ida, em Buenos Aires, o Verdão foi merecedor da classificação.

"O River tem um treinador melhor do que eu. Tem também jogadores com grande experiência. Nos últimos cinco anos eles estiveram nas semifinais, e ganharam a competição duas vezes. Mas quer eu, quer meus jogadores, só há uma maneira de ganhar experiência e viver, passar por isso. Por isso, hoje subimos a montanha, vimos a vista lá de cima e é muito boa. Agora, vamos descer outra vez, recuperar nossos jogadores, ver o time que teremos para a próxima partida...", afirmou.

"Hoje, ficamos sem o Gómez e o Zé Rafael. Não tínhamos um volante sequer no banco para nos ajudar. Até deixei o Luan de fora na expectativa dele ter que entrar no meio, porque o Zé Rafael não jogava há muito tempo e podia não aguentar os 90 minutos. A vida do treinador é isso. Nosso adversário veio aqui com força máxima, e nós, com os jogadores que túnhamos, demos tudo", seguiu.

"Tivemos que sofrer, sim, mas a classificação foi fruto do que fizemos na Argentina. Foi um jogo em que poderíamos ter feito mais gols, pois as mesmas oportunidades que eles tiveram aqui nós tivemos lá. Em duas mãos, deu 3 a 2 para nós", completou.

O português também agradeceu aos torcedores pela linda festa feita na passagem do ônibus da equipe da Academia de Futebol até o Allianz Parque, mas ressaltou que isso só aumentou a pressão para o lado dos alviverdes.

"Eu tive minha primeira experiência com toda a torcida, vindo do CT até aqui. Eu sei que eles ajudam, mas meteram mais pressão ainda em cima de nós, porque parecia que a gente já estava classificado e nem precisava jogar", argumentou.

"Obrigado a todos pelo apoio, e vou repetir o que o Luan falou; amanhã, quando a família Palmeiras acordar, vai acordar feliz. E os que forem trabalhar, vão dar um rendimento melhor aos seus chefes", brincou.

Com o resultado, o Verdão volta à decisão continental após 21 anos, depois de alcançar a final em 2000.

O time de Abel Ferreira agora aguarda quem passar de Santos x Boca Juniors, nesta quarta-feira, para saber quem será seu adversário.