<
>

Palmeiras segue em busca de novo 'plano A' de olho em ex-Barcelona, 'xodó' da torcida e até com ex-Real Madrid oferecido

O Palmeiras segue de olho no mercado em busca de um novo treinador. Na noite da última terça-feira, o 'não' de Miguel Ángel Ramírez causou desistência por parte do clube paulista, que volta a avaliar uma série de outros nomes para definir o mais novo 'plano A' para a vaga de Vanderlei Luxemburgo.

O ESPN.com.br apura de perto com fontes ligadas ao clube a procura por um novo comandante. Apesar da busca por um 'DNA palmeirense' para o futuro, a própria diretoria do clube não tem um nome específico neste momento como favorito ao cargo.

Pedido por boa parte da torcida nas redes sociais, Gabriel Heinze está sendo avaliado e é tido como opção importante para o departamento de futebol do clube.

Por outro lado, conforme informado pelo diário Marca, da Espanha, na última quarta-feira, Quique Sétien, ex-Barcelona, foi procurado pela cúpula palmeirense. Porém, o ESPN.com.br apurou junto ao Palmeiras que 'trata-se de um treinador muito caro, fora dos padrões da América do Sul e que seria difícil imaginar o negócio sendo fechado'.

Outro técnico, desta vez oferecido ao time alviverde, foi o de Juande Ramos. O espanhol de 66 anos está sem clube desde dezembro de 2016, quando deixou o comando do Málaga.

Segundo apuração dos canais ESPN, a diretoria de futebol do Palmeiras gostou da possibilidade, que chegou a dirigir o Real Madrid entre 2008 e 2009. O espanhol agora faz parte de uma vasta lista que conta ainda com demais nomes da América do Sul.

Os nomes de Guillermo Barros Schelotto, atualmente em má fase no LA Galaxy e oferecido ao Palmeiras, era o originário 'plano B' antes mesmo da ida de Anderson Barros e Paulo Buosi ao Equador para tentar a aquisição de Miguel Ángel Ramírez.

Na última quarta-feira, Sebástian Beccacece, do Racing, e até mesmo Francisco Arce, ídolo do clube e treinador do Cerro Porteño, do Paraguai, foram estudados.

A reportagem entrou em contato com Victor Blanco, presidente do Racing, que disse que não houve procura por parte do Palmeiras e que confia no contrato que tem com o treinador até o dia 31 de junho de 2020 para uma permanência de Beccacece.