<
>

Ramírez diz que foi difícil dizer não ao 'gigante' Palmeiras, mas explica: 'Só quero pisar sobre solo firme'

Após vencer o Barcelona de Guayaquil por 2 a 0, nesta quarta-feira, e se classificar às oitavas da Conmebol Libertadores, o técnico do Independiente Del Valle, Miguel Ángel Ramírez, explicou em sua coletiva de imprensa por que resolveu não aceitar a proposta para assumir imediatamente o comando do Palmeiras.

O espanhol salientou que foi "muito difícil" dizer não a um "gigante" como o Verdão, mas ressaltou sua gratidão ao Del Valle e revelou seus motivos.

"Em uma tomada de decisão assim, são múltiplos os fatores analisados. Não só o contrato e as condições que oferecem. Não só o projeto esportivo. Não só o que você está deixando para trás. Não só aonde você vai e quando vai. São um monte de fatores. E a decisão nunca é fácil. Muito menos quanto te ligam os gigantes, porque o piso treme, as pernas tremem...", afirmou.

"É muito difícil tomar uma decisão assim. E digamos que, para mim, é muito mais difícil, porque eu estou começando agora minha carreira no futebol profissional. Então, eu tenho que medir bem os passos que dou e só pisar sobre solo firme, no qual eu possa seguir avançando", analisou.

"Logicamente, falando especificamente desse grupo (do Del Valle) e desse projeto, é muito significativo. O Independiente me deu tudo no mundo (do futebol) profissional. Foi a equipe que me permitiu entrar no mundo profissional e dedicarme em alto nível, de poder jogar as noites mágicas de Copa Libertadores", seguiu.

"E tenho um grupo com o qual já trabalho junto faz tempo, então tudo é mais rápido e mais fácil. Eu já os conheço e só com um olhar nos entendemos. E isso tem um peso específico muito grande", finalizou.

O Palmeiras enviou seu diretor de futebol (Anderson Barros) e o vice-presidente Paulo Buosi para tentar contratar Ramírez.

Inicialmente, o espanhol se interessou pelo projeto palestrino. No entanto, disse depois que gostaria de terminar a temporada no Del Valle, assumindo o Alviverde apenas em 2021.

O clube paulista, por sua vez, entendeu que não poderia esperar tanto tempo e acabou deixando de insistir na negociação.

Agora, o Verdão segue à busca de um novo técnico para a sequência da temporada, enquanto o espanhol seguirá no clube de Quito.