<
>

Ex-Vasco renasce na Europa, vira destaque e hoje disputa a Champions League

play
Evander fala sobre transferência para o Midtjylland e 'adaptação difícil' na Dinamarca (0:57)

Uma das grandes promessas dos últimos anos no Vasco, Evander amadureceu quando foi jogar na Europa, em 2018. Em pouco tempo, o meia virou titular e destaque do Midtjylland, da Dinamarca. (0:57)

Uma das grandes promessas dos últimos anos no Vasco, Evander amadureceu quando foi jogar na Europa, em 2018. Em pouco tempo, o meia virou titular e destaque do Midtjylland, da Dinamarca, que pode disputar pela primeira vez a fase de grupos da Champions League.

Para isso, a equipe dinamarquesa precisa eliminar em casa o Slavia Praga, da República Tcheca, nesta quarta-feira. O jogo de ida terminou empatado em 0 a 0.

"Estamos focados e temos total chance. Isso ficará na história do clube. Estamos a um jogo de nos classificarmos e vamos atrás disso", disse, ao ESPN.com.br.

O meia, formado desde os oito anos na base do Vasco, estreou como profissional em 2016. Após sofrer com altos e baixos e ter alguns problemas com a torcida, ele foi emprestado ao Midtjylland.

Com o sucesso logo na primeira temporada, Evander foi comprado de forma definitiva. Desde então, seu nome foi especulado em clubes como Porto, Valencia e Atlético de Madrid.

Veja a entrevista com Evander:

Como surgiu o convite do Midtjylland

Eu fiquei surpreso quando chegou a oferta de empréstimo porque eu não estava jogando. Não era normal ter brasileiros aqui quando eu cheguei. Depois vieram o Paulinho, o Thiago e outros. Bom que, graças a Deus, pude abrir as portas e trazer mais brasileiros para cá.

Reconstruindo a carreira

Algumas coisa na vida temos que passar por cima, não podemos pensar muito. Eu via como uma oportunidade de me levantar de novo no futebol e abrir outras portas. O frio é muito difícil porque venta bastante. Eu tinha uma noção de inglês e continuei fazendo aulas com um professor do Brasil por Skype. Aos poucos fui me acostumando e sentindo em casa. Minha família veio para cá por um tempo para me ajudar e os meus amigos também. Passei bem por esse processo de adaptação.

Cidade pacata

O estilo de vida é bem diferente, incluindo a rotina das pessoas. Eles jantam bem cedo e levantam cedo para o trabalho. Estou em uma cidade tranquila [50 mil habitantes] que não tem muito o que fazer, mas moro perto das cidades maiores. Jogar com neve é complicado. Algumas vezes com 6 graus negativos e uma ventania...

Dormir no meio da floresta

Um dia fizemos um trabalho psicológico e fomos para a floresta passar o dia inteiro e dormir lá. Só voltamos no dia seguinte. Nós saímos cedo para caminhar por uns 10km no bosque. Vai o time todo e a comissão técnica. É bacana. A gente leva o material e eles têm profissionais que nos acompanham. Tem barraca para a gente dormir e casaco porque é muito frio. Não acontece nada de errado.

Como é morar na Dinamarca?

É um país onde você paga um imposto muito alto, mas tudo funciona. Segurança, saúde, educação... Não tem fila para nada e tudo se resolve de forma muito simples. As pessoas não parecem ter tantos problemas, mas as coisas são muito caras. O país é muito seguro e você não tem preocupação em sair na rua.

A relação com torcida

A torcida vai aos jogos e é bem apaixonada. Ela não para de gritar e cantar. É um clube novo e estamos ganhando espaço no futebol. Fora de campo eles respeitam sua profissão o o que você faz dentro de campo fica por lá. Quando te encontram dificilmente falam de futebol. Eles pedem foto, mas não falam muita coisa.

Amor por brasileiros

Eles gostam muito dos brasileiros do clube e são muito carinhosos. Às vezes vemos crianças com as nossas camisas na rua e pedem autógrafo. Quando um brasileiro faz algo diferente, como uma jogada habilidosa, eles ficam bem impressionados porque não é comum na Dinamarca.

Sucesso dentro de campo

Minha primeira temporada foi mais de adaptação e fui eleito o melhor jogador jovem do clube. Fiz 10 gols e fiquei muito feliz. O estilo de jogo da minha equipe é bem diferente em relação ao Vasco. Na segunda temporada já me sentia em casa e recebo incentivo até hoje. Os treinadores me ajudaram na minha formação. Tem sido bom fisicamente, taticamente e dentro de campo para a minha carreira.

Mudanças de posição

Eu já joguei em três posições diferentes aqui. Eu comecei de ponta esquerda, depois passei a jogar com segundo volante porque o time jogava com três zagueiros. Depois, voltei a jogar como meia, a minha posição de origem. Agora, estou jogando de novo como segundo volante. Fica essa rotação. Foi bom por ter aprendido essas novas posições e posso ajudar o time.

play
0:42

Evander revela trabalho psicológico curioso do Midtjylland: 'A gente fica 24h dentro de um bosque'

Uma das grandes promessas dos últimos anos no Vasco, Evander amadureceu quando foi jogar na Europa, em 2018. Em pouco tempo, o meia virou titular e destaque do Midtjylland, da Dinamarca.

Campeão dinamarquês

A última temporada foi boa porque vencemos de forma antecipada a Liga Dinamarquesa e conseguimos vagas nos playoffs da Champions League. Na Copa nós caímos cedo, infelizmente.

Champions League

Passamos pelo Ludogorets-BUL, Young Boys-SUI e agora estamos jogando contra o Slavia Praga. Estamos focados e temos total chance de jogar pela primeira vez a Champions League. Isso ficará na história do clube. Estamos a um jogo de nos classificarmos e vamos atrás disso.

Sonhos na carreira

Eu estou feliz pelo momento que estamos vivendo. Começamos uma nova temporada e temos total chance de sermos campeões de novo. Meu sonho agora é fazer o melhor aqui e ajudar na forma que puder. Sei que é difícil olhar pra cá, mas ainda tenho sonho de voltar para a seleção brasileira. Vamos vivendo dia a dia.

Nome de guerreiro

Meu pai queria o nome de um guerreiro e viu a luta que o Evander Holyfield venceu o Tyson e me batizou assim. Eu nunca vi uma luta dele, mas sei que é um grande boxeador.