<
>

Prêmio ESPN Bola de Prata 2020 pode ter recorde de estrangeiros ganhadores; veja a seleção atual

play
De olho no Bola de Prata, Patrick, do Inter, relembra: 'Em 2018 eu bati na trave' (1:15)

Meio-campista do Inter conversou com a repórter Bibiana Bolson (1:15)

Criado em 1970, o Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet já premiou 34 jogadores estrangeiros. Na última edição, foram dois: o zagueiro Gustavo Gómez, do Palmeiras, e o meia Arrascaeta, do Flamengo. Curiosamente, os dois voltaram à seleção do Campeonato Brasileiro de 2020 após a 11ª rodada.

Além do paraguaio e do uruguaio, o time ideal até o momento conta ainda com mais três 'gringos': o goleiro Gatito Fernández (Botafogo), também paraguaio, e o lateral-direito Saravia (Internacional) e o meia Martín Benítez (Vasco), ambos argentinos.

Com cinco representantes, além do técnico argentino Jorge Sampaoli, a equipe do Bola de Prata 2020 conta, até aqui, com um domínio estrangeiro jamais visto na história do prêmio.

Até hoje, o recorde é do Brasileirão de 2005, com quatro estrangeiros levando a Bola de Prata (os zagueiros Gamarra, paraguaio, e Lugano, uruguaio, o meia Petkovic, sérvio, e o atacante Tevez, argentino). Campeão pelo Corinthians naquele ano, Carlitos levou ainda a Bola de Ouro.

Gustavo Gómez e Arrascaeta, que já levaram o troféu em 2019 e correm atrás agora do bi, podem entrar ainda para um seleto grupo de 'gringos' premiados mais de uma vez.

O zagueiro chileno Figueroa, com quatro de Prata e uma de Ouro (1976) é o líder; depois, aparece Gamarra, com quatro de Prata; a seguir, o lateral-direito Arce (Palmeiras e Grêmio), paraguaio, Petkovic e Darío Pereyra, zagueiro uruguaio, com três de Prata cada.

O goleiro argentino Cejas (Santos), Conca, Tevez e o zagueiro uruguaio Ancheta (Grêmio) têm uma de Prata e uma de Ouro cada, enquanto o meia argentino Montillo (Cruzeiro) tem duas de Prata.