<
>

Flamengo: Landim explica por que quer adiar jogo com Palmeiras e releva foto de jogadores sem máscara no avião

Em entrevista ao SporTV nesta sexta-feira, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, explicou por que está pedindo no STJD o adiamento do jogo contra o Palmeiras pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo no Allianz Parque.

O clube rubro-negro teve um surto de casos de COVID-19 durante a viagem ao Equador para uma rodada dupla da Conmebol Libertadores: 16 jogadores testaram positivo, assim como o técnico Domènec Torrent, membros da comissão e também dirigentes - inclusive o próprio Landim.

"Achamos absurdo. Foram muitas pessoas. Coloco em xeque o tratamento que o Flamengo tem. Foi uma coisa excepcional. A informação que a gente tem dos nossos infectologistas é que eles (jogadores) poderão durante cinco dias estar com o teste positivo, exatamente pelo convívio que eles tiveram agora. Essa é a razão que o Flamengo pediu a suspensão do jogo", disse.

"Você vai deixar que um monte de pessoas que podem estar contaminadas jogando? Não é razoável. Tantos jogos já foram adiados, o que significa adiar mais um?", questionou.

"A discussão (do adiamento) não é o número de jogadores, mas sim o período de infecção que a gente tem. Até segunda ou terça, todos são potenciais de contaminação. Não foi um, são 16 jogadores e um monte do staff. É insano essa discussão", continuou.

O mandatário afirmou que os oito dias em que a delegação do Fla ficou entre Quito e Guayaquil ajudaram a piorar o cenário.

"Você tenta criar os protocolos para diminuir o risco, mas não tenho dúvida nenhuma que por envolver o fato do tempo maior, o risco é maior na Libertadores do que no Brasileiro", analisou.

“Os protocolos que o Flamengo usa e utiliza são seguros, e a gente dá total e completa prioridade à saúde de nossos jogadores. A maior prova disso é que tínhamos uma pessoa que testou positivo e não deixamos voltar no mesmo voo".

Landim foi questionado sobre uma foto postada pelo Flamengo em que os jogadores aparecem dentro do avião na volta ao Brasil sem máscaras.

"Sim, estavam todos testados. É óbvio que na hora que você vai tirar uma foto, você não tira foto com máscara. Eu não tiro foto com máscara: tiro a máscara e prendo a respiração. Vamos relevar aí. Os jogadores jogam sem máscara, é difícil de conter, é coisa natural. Eles se cumprimentam, se abraçam".