<
>

Barcelona amanhece em 'estado de choque' e deve ter reunião de emergência só na segunda

play
Gian Oddi sobre Barcelona x Bayern: 'É um absurdo! Um massacre! Vai pesar demais' (2:54)

Comentarista também apostou na queda de Quique Setién (2:54)

O Barcelona está mudo. No dia seguinte a maior humilhação da história clube, uma goleada de 8 a 2 para o Bayern de Munique, em Lisboa, um silêncio sepulcral tomou a agremiação. Uma reunião de emergência, anunciada pelo presidente Josep Maria Bartomeu em Portugal, minutos após o fim do jogo, deve acontecer na próxima segunda-feira (17), segundo apurou a reportagem.

Por mais inédito que possa parecer, na manhã deste sábado (15), doze horas após o desastre, Quique Setién ainda é oficialmente o treinador do Barcelona. O treinador não soube nem parecia incomodar-se em explicar as razões de tal pesadelo, enquanto o discurso do presidente, gaguejante e derrubado como nunca antes visto, não dava qualquer pista sobre o futuro.

A sucessão de Setién significa uma nova tempestade no Camp Nou e a necessária renovação do plantel se mostra tão difícil de realizar quanto complicada por exigir uma mudança geral e estrutura. Não são poucos os jogadores com contrato em vigor e salários multimilionários que entende-se difícil e impossível serem convencidos a deixar o clube.

Se a lista de opções para técnicos é curta, a lista de jogadores afetados é extensa. E o pesadelo trouxe impactos em outras decisões. O jornal “Mundo Deportivo” publicou que a intenção de Bartomeu é convocar as eleições. Não está claro o prazo, deixando no ar a intenção e levando em consideração que esta diretoria tem no máximo dez meses de gestão e caso o clube não aprove essa antecipação, o mais provável seria a eleição no primeiro trimestre de 2021, em plena temporada.

“As eleições não podem ser convocadas antes de concluir o exercício contábil da temporada 2019/20”, disse o presidente, colocando ênfase especial no fato de que as perdas causadas pela pandemia do novo coronavírus vão afetar, e não pouco, o futuro imediato de um clube que "já vem arrastando uma situação ao limite" em suas contas nos últimos anos.

O Barcelona vive em um estado de choque como há muitas décadas não acontecia no Camp Nou. Uma situação extrema desconhecida e que pode acarretar em futuro imediato nada promissor. Bartomeu está em um beco. O clube, os jogadores e todo o restante, também.

play
2:54

Gian Oddi sobre Barcelona x Bayern: 'É um absurdo! Um massacre! Vai pesar demais'

Comentarista também apostou na queda de Quique Setién